Polícia Militar faz prisão de cidadão que assassinou andarilho

Tadeu Júnior Dias, de 44 anos de idade, foi preso neste domingo pela Polícia Militar de Botucatu na Rua Adolfo Pinheiro Machado. Ele foi identificado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) como autor do assassinato do também andarilho Luiz Henrique de Oliveira, na ocasião com 38 anos de idade. O crime aconteceu no dia 04 de março deste ano, nas proximidades da Rua Ulisses Grassi, na Vila Cidade Jardim.

Em razão da divulgação das fotos de Tadeu no Acontece Botucatu, dando conta ainda que ele estava com mandado de prisão decretado, várias pessoas ligaram para a Polícia Militar, ao 190, informando ao Centro Operacional da Polícia Militar (COPOM) de que o autor do homicídio estava andando pela Rua Adolfo Pinheiro Machado, próximo ao Mercado Gigante.

De posse destas informações as equipes das viaturas da Polícia Militar, iniciaram o patrulhamento com vistas ao suspeito, sendo Tadeu identificado e abordado em um bar nas proximidades da Rua Adolfo Pinheiro Machado e conduzido ao Plantão permanente, onde assumiu a autoria do crime e foi recolhido ? Cadeia Pública de Itatinga. Nas próximas horas deverá ser escoltado até o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César.

“Quando começamos a receber várias ligações junto ao 190 sobre onde estaria o autor do homicídio divulgado pela imprensa, constatamos que o trabalho desenvolvido pelas polícias, tem o respaldo e confiança da população”, comentou a sargento Márcia, supervisora do COPOM.

{n}O crime{/n}

Segundo apurou os policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) Marcos Franco e Vitor, juntamente com o delegado Geraldo Franco Pires, a vítima Luiz Henrique de Oliveira, havia sido internado no início do mês, após ter sido espancado na Rua Ulisses Rossi Grassi, na Vila Cidade Jardim, sangrando pela boca e nariz. Ele foi encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital das Clínicas (HC) por socorristas do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), mas faleceu horas depois.

Com o resultado do laudo da necropsia atestando que morte foi ocasionada por traumatismo craniano, os policiais passaram a investigar o caso como homicídio e após dias de investigação chegaram ao principal suspeito, no caso Tadeu Júnior Dias, que teve a prisão temporária expedida pela Justiça e constava como foragido.

Assim que soube do resultado da necropsia a equipe de investigação passou a dialogar com familiares da vítima e com outros andarilhos da Cidade e foi informada de que Luiz Oliveira havia sido espancado por Tadeu Júnior. Ambos estariam alcoolizados quando entraram em luta corporal. Uma das principais testemunhas da polícia foi um morador da Vila Jardim que presenciou a briga e forneceu as características do agressor.