Polícia Militar e Guarda Municipal apreendem dinheiro falso

Em operações distintas realizadas pela Polícia Militar (PM) e Guarda Civil Municipal (GCM), nesta terça-feira (29), em pontos diferentes da cidade, foram apreendidas notas falsas de R$ 50,00 e R$ 100,00.

O primeiro caso aconteceu por volta da 16h30, em um estabelecimento comercial (bar) na Rua Antônio Sabino Santa Rosa, na Vila Santana, quando uma mulher de nome Andréa da Silva Soares, de 32 anos de idade, que veio de São Paulo, queria pagar um refrigerante com uma nota de R$ 100,00. A proprietária desconfiou e percebeu que a nota era falsa, pois não tinha textura normal e acionou os agentes Iwerton e Jayme, da Guarda Civil Municipal (GCM).

A mulher percebendo que a nota falsa havia sido descoberta evadiu-se do local, mas acabou sendo localizada pelos agentes e encaminhada ao 1º Distrito Policial (DP) onde o delegado Marcos Sagin de Campos elaborou o Boletim de Ocorrência (BO) e determinou o recolhimento da mulher ? Cadeia Pública de Itatinga. Essa cidadã já havia sido presa outras duas vezes pelo mesmo crime (moeda falsa), tendo uma condenação.

{bimg: 20596:alt=interna1:bimg}

{n}{tam:25px}PM detém adolescente{/tam} {/n}

Às 21 horas, a Polícia Militar com o sargento Paulo, cabo Renato e soldados Contessotto e Capeluppi, receberam uma denúncia feita por uma comerciante proprietária de um trailler de lanches localizado na Rua Mirabel Camargo Pacheco, nº 1216, na Vila Cidade Jardim, onde um adolescente de 15 anos de idade havia comido um lanche e queria acertar a dívida com uma nota de R$ 50,00 falsa. A mulher (que já conhecia o garoto) percebeu que a nota era falsa e acionou a policia enquanto o infrator saboreava o lanche.

Na abordagem o menor disse que havia outros dois menores e um maior (de nome Zadoque de Oliveira, de 22 anos) envolvidos. O adolescente conduziu os PMs até o local onde os outros acusados estavam e estes foram flagrados pedindo uma pizza que seria paga com outra nota falsa de R$ 50,00.

Todos foram conduzidos ao Plantão Permanente, onde o delegado Antenor de Jesus Zeque elaborou o Boletim de Ocorrência (BO). O maior foi recolhido ? Cadeia Pública e os menores protegidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), foram liberados com a presença dos pais.

{bimg: 20597:alt=interna2:bimg}

Fotos: Macaru