Polícia Militar de Botucatu poderá ter canil e cavalaria

Na rodada de visitas que fez por secretarias e órgãos do Governo em busca de novos recursos e investimentos para Botucatu, o prefeito João Cury Neto reuniu-se na última terça-feira (14) com o Comandante Geral da Polícia Militar do Estado de São Paulo, Cel. PM Álvaro Batista Camilo.

A audiência foi agendada com a finalidade de discutir a instalação de um destacamento da cavalaria e um grupamento de canil da Polícia Militar em Botucatu. O prefeito passou ? s mãos do comandante o ofício 684/2010 que trata especificamente dessa solicitação, uma antiga aspiração da Cidade.
“A criação de tais unidades contribuirão para elevar ainda mais o excelente serviço que já vem sendo prestado pela Polícia Militar em nossa cidade”, justifica João Cury. Essa é uma antiga reivindicação da PM de Botucatu.

O coronel Álvaro Batista Camilo reconheceu a importância do pleito apresentado pelo prefeito e vê boas chances em poder atendê-lo. Essa possibilidade cresceu assim que tomou conhecimento dos detalhes que envolvem o projeto.

“Expliquei ao comandante que a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Unesp será nossa parceria, inclusive disponibilizando o local necessário para abrigar essas unidades. São grandes as chances de sermos atendidos”, prevê Cury.

{n}Cavalaria {/n}

O cavalo, por não depender de vias-padrão para se deslocar, pode ser utilizado em qualquer terreno, principalmente onde o deslocamento de viaturas e mesmo do homem a pé seja limitado. Além disso, pode ser conduzido a qualquer ponto, não ficando retido em congestionamentos ou em meio a grandes multidões.

A combinação da ostensividade, do efeito psicológico, do poder repressivo, da mobilidade e da flexibilidade, confere ao patrulhamento montado a característica toda especial de ampliar sua área de responsabilidade e segurança, com um número mais reduzido de policiais militares. Analogamente, tal característica também é reconhecida nas ações de controle de distúrbios civis e em operações especiais.

O policial militar a cavalo, por seu extenso campo de visão e consequente poder de fiscalização, bem como pela possibilidade de ser visto por muitas pessoas ao mesmo tempo, pode cumprir a missão de contenção de massa sem empregar um grande número de policiais como ocorre, por exemplo, na modalidade de policiamento a pé.

{n}Canil{/n}

O emprego dos cães no policiamento já é realizado com êxito em várias corporações do Estado de São Paulo. Eles chegam filhotes, quando então começam o treinamento e passam por um período de observação e amizade e depois de 18 meses estarão aprovados para o serviço policial.
Mas, a exemplo do que ocorre com os humanos, os cães, também podem ser reprovados durantes os testes, porque apresentam desvio de comportamento, falta de concentração, o que acaba atrapalhando no desempenho das funções policiais.

Esses animais são submetidos a rigorosos treinamentos. Ao lado dos policiais, os cães recebem técnicas para ajudar os militares no controle de distúrbios civis, farejo de entorpecentes, rebeliões, revistas em presídios, policiamento em favelas e locais de riscos entre outras tarefas que exigem muito dos animais. Como não poderia deixar de ser, eles têm êxito completo em todas as missões.

Fotos: Divulgação