Polícia identifica suposto estuprador da Fazenda Lageado

Jedielson Castro. É esse o nome do estuprador acusado de abusar sexualmente de uma estudante de 21 anos na Fazenda Lageado na tarde quinta-feira da semana passada (19) e está foragido. A informação foi passada na manhã desta quinta-feira pelo delegado seccional de polícia, Antônio Soares da Costa Neto.  A foto do acusado está circulando nas redes sociais de Botucatu deste o início da tarde desta quarta-feira. 

“Desde que esse hediondo crime foi cometido as Forças de Segurança da Cidade, formada pela Polícia Civil, através da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Polícia Militar (PM) e Guarda Civil Municipal (GCM) não pararam de trabalhar e seguiram várias pistas, com a detenção de alguns suspeitos que correspondiam às características do criminoso, até chegar à sua identificação”, destacou Soares Neto.

De acordo com o delegado, numa das fases da investigação a polícia descobriu que o próprio Jedielson, que é morador do Jardim Monte Mor,   numa conversa com um amigo teria declarado que havia feito uma “cagada” e através de fotos, acabou sendo reconhecido.

“Tenho a certeza de que ele será preso nas próximas horas para pagar pelo crime que cometeu e qualquer informação a pessoa pode ligar para a Polícia Militar no número 190; Polícia Civil no número 197; ou Guarda Municipal no número 199,  para dar informações sobre o seu paradeiro. A imprensa também poderá ajudar divulgando a foto do criminoso. O crime está esclarecido e nas próximas horas esperamos  colocar esse bandido na cadeia” sentenciou o seccional.

No dia dos fatos esse cidadão abordou a mulher que caminhava pela avenida principal do Lageado que é bastante frequentado pelas manhãs e aos finais de tarde e de posse de uma faca anunciou o assalto pedindo R$ 600,00 para pagar suas dividas com drogas.

Como a mulher alegou não ter dinheiro o marginal a conduziu para o final da via principal onde passaram uma porteira e pegaram uma estrada de terra que termina em um ribeirão onde o autor amarrou seus punhos e a violentou, evadindo-se levando o seu celular. A ação criminosa  teria durado cerca de 40 minutos.