Polícia identifica quadrilha do golpe do bilhete premiado

Fotos: Quico Cuter

Através de um trabalho investigativo que vem sendo realizado há quatro meses, os policiais civis da 2ª Central de Polícia Judiciária de Botucatu, identificaram sete membros de uma quadrilha (cinco homens e duas mulheres) especializada em aplicar golpes do bilhete premiado, agindo em diferentes cidades do interior paulista, entre elas Botucatu.

Com forte poder de persuasão esta quadrilha que é oriunda do estado de Santa Catarina, lesou inúmeras pessoas, principalmente, mulheres idosas. A forma de agir é, relativamente, simples. Um dos membros da quadrilha acompanha os passos da vítima no banco e, do lado de fora, realiza a abordagem.

Com ajuda de outro comparsa convence a vítima a entregar dinheiro ofertando metade do prêmio premiado. Para dar maior veracidade ligam para um terceiro componente e este se passa por um agente da Caixa Econômica Federal (CEF) que atesta que o bilhete está premiado. O final da história é previsível.

As investigações se iniciaram quando uma mulher perdeu R$ 4 mil em dinheiro, além de jóias, depois de ser abordada dentro do banco Bradesco de Botucatu por um cidadão identificado como Osni Nogueira. Do lado de fora participou do golpe o comparsa Dagoberto Matias, ambos reconhecidos pela vítima.

“Através de cruzamento de dados conseguimos identificar outros cinco integrantes da quadrilha, que se revezavam na aplicação de golpes pelo interior paulista. A lista de golpes aplicados por essa quadrilha é extensa e as investigações continuam”, salientou o delegado Marcos Mores, que encaminhou as fotos da quadrilha para diversas delegacias de São Paulo.

Além de Osni Nogueira e Dagoberto Matias, foram apontados como integrantes do bando: Eduardo de Souza Gomes, Elton Rodrigues Lima, Rodrigo Soares, Roseli Gonçalves Ribeiro e Cláudia Maria Lopez Pereira.