Polícia está próxima de identificar o executor da Cohab I

Embora as investigações estejam ocorrendo em sigilo para que o trabalho não seja comprometido, a reportagem do Acontece apurou que os policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) estão muito próximos de elucidar o duplo homicídio registrado na madrugada de quinta-feira (29) em uma edícula que fica nos fundos da casa de número 121, na Rua dos Pracinhas de Botucatu (antiga Rua 18), na Cohab I.

Foi nesse cômodo que a Guarda Civil Municipal (GCM), através do Grupo de Ações Preventivas Especiais (GAPE) com o inspetor Pimentel e os agentes Adeilson e Rezende encontraram os cadáveres de Elidiano Costa Ximenes, o Gordinho, de 27 anos e Levi Inácio Luiz, de 20 anos. A casa da frente estava desabitada e a antiga moradora havia entregado a chave há poucos dias. Na edícula morava Elidiano.

“Posso dizer que desde que os corpos foram localizados algumas informações foram passadas ? s polícias Civil e Militar, assim como a Guarda Municipal por pessoas que conheciam as vítimas e nos forneceram nomes de possíveis suspeitos da autoria desse duplo homicídio. Algumas informações são infundadas, mas outras têm fundamento e estão sendo checadas. Podemos dizer que estamos próximos de esclarecer o crime”, comentou o delegado Celso Olindo, que está no comando das investigações.

Segundo o delegado houve uma execução sumária, que leva a polícia ter convicção de que foi um acerto de contas, provavelmente, relacionado ao tráfico de entorpecentes. “Não podemos adiantar nada, mas a investigação segue este caminho e, brevemente, deveremos apresentar novidades”, colocou Olindo, lembrando que os vizinhos alegaram que por volta das 5 horas da manhã ouviram diversos tiros, mas não se lembram de nenhuma discussão antes dos disparos. Os corpos só foram encontrados no início da tarde, através de um telefonema anônimo feito na central da Guarda Municipal.

A cena na edícula foi semelhante a um filme de terror com as duas vítimas marcadas com diversas perfurações de balas de uma pistola calibre .380. Os tiros atingiram os dois homens na região da cabeça, costas, tórax, abdômen e pernas. Levi foi encontrado atrás da porta caído sobre um sofá com seis tiros e Elidiano estava na cama, marcado com 12 perfurações, sendo que dois tiros transfixaram seu corpo. Ele recebeu 10 tiros. Pelo chão ficaram várias cápsulas deflagradas espalhadas, 24 pinos de cocaína e 05 porções de maconha, além de outros objetos que foram recolhidos para serem periciados.