Polícia elucida assassinato violento cometido em Rubião

Depois de um trabalho investigativo com participação dos policiais plantonistas da Polícia Civil, escrivães Rafael e Míriam, investigador Castillo e a chefia do delegado Marcos Mores, com apoio da Policia Militar e Delegacia de Investigações Gerais (DIG), foi esclarecido o crime com extrema violência ocorrido em uma plantação de eucalipto, no cruzamento das ruas José Baptista e Expedicionário Orlando Pezavento, no Jardim Botucatu, Distrito de Rubião Júnior, em Botucatu. A vítima é Evandro Barreto dos Santos, de 27 anos.

O corpo foi encontrado na manhã de terça-feira (9) semi-degolado e com quatro perfurações de faca no abdome, duas na perna direita e uma no tórax. Outras várias perfurações foram identificadas no rosto da vítima. Também foi encontrado nas proximidades do corpo varas de eucalipto manchadas de sangue, que foram usadas para bater contra a cabeça da vítima e uma faca comum de mesa de cozinha (serra).

No mesmo dia do crime os policiais civis detectaram que Evandro Santos morava com uma mulher de nome Sueli Aparecida Bernardo Nunes e que ele agredia a mulher com frequência. O irmão dela, Rogério Bernardo Nunes, de 29 anos, tomou as dores e acabou cometendo o assassinato.

Ainda aponta as investigações que um dia antes do crime Evandro e Sueli (que tem uma filha) discutiram e ele teria expulsado a mulher de casa fazendo ameaças de morte caso ela retornasse. Nunes teria invadido a casa, possivelmente, acompanhado de outros elementos para resgatar Evandro e levá-lo ao bosque de eucaliptos onde o crime foi consumado.

Entretanto, as investigações continuam uma vez que a policia entende que outras pessoas podem ter participado do crime. Isso porque uma testemunha que pediu para que seu nome não fosse divulgado e que mora na Rua Gereone Rubin (paralela ? rua onde o crime foi cometido) revelou que por volta das 21h50 de segunda-feira (8) um homem gritando por socorro pulou o muro de sua casa. Em seguida, outras pessoas também teriam pulado o muro e arrastaram o homem para fora. Um dos seus sapatos ficou na rua.

“Fiquei com medo de abrir a porta, porque não sabia o que estava acontecendo e chamei a Polícia Militar que veio depressa, mas o homem já tinha sido levado. Não sei se isso tem alguma ligação com esse corpo que foi encontrado”, disse o morador.

Sueli teve a prisão temporária decretada pela Justiça e está recolhida ? Cadeia Pública de Porangaba e deve ser transferida ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pirajuí. Já Rogério Nunes, também está com a prisão decretada e permanece foragido. A polícia espera que com sua prisão outros participantes do crime, também sejam identificados.

Fotos: Luiz Fernando

{bimg:41558:alt=interna:bimg}