Polícia destrói de 66 mil CDs e DVDs oriundos de contrabando

Na tarde desta sexta-feira, a Polícia Civil, juntamente com a Polícia Militar e Guarda Civil Municipal, realizaram a destruição de material contrabandeado do Paraguai. Foram 66 mil peças entre CDs e DVDs de diferentes títulos, desde filmes infantis a pornográficos e cantores de diferentes gêneros musicais.

Todos esses CDs e DVDs são oriundos de uma mega operação, feita pela Polícia Militar, usando 60 homens, juntamente com agentes da Polícia Federal, deflagrada na cidade no dia 27 de maio deste ano, no Centro Comercial Popular de Botucatu “Ângelo Garrido Fernandes”, conhecido como “Camelódromo, que fica na Rua Curuzu, onde uma verdadeira varredura foi feita em todas as barracas.

Para deflagrar essa mega operação em Botucatu, a Receita Federal, acumulou várias denúncias e a operação foi planejada juntamente com o comandante da 1ª Companhia da PM, capitão José Semensati Júnior e pelo então comandante do 12º BPM, tenente coronel César Francisco Toma.

Todas as barracas, sem exceção, foram vistoriadas e tudo o que foi aprendido como brinquedos, relógios, eletrodomésticos, entre muitos outros produtos foram encaixotados pela própria PM, colocados em caminhões e deslocados para a Polícia Federal, em Bauru, exceto os CDs e DVDs que foram conduzidos ao 1º Distrito Policial (DP) para serem avaliados e catalogados, pois trata-se de crime contra os direitos autorais.

Até então, os (66 mil) CDs e DVDs permaneceram acondicionados em caixas de papelão até que a polícia recebesse autorização judicial para fazer a destruição. O local escolhido foi a Rua Campos Salles, em frente ao 1º Distrito Policial, região central da cidade.

“Os CDs e DVDs estavam guardados em um local seguro e optamos por fazer a destruição em local público para dar uma satisfação do trabalho policial ? comunidade. Os produtos são de origem ilícita e não poderiam ser comercializados”, explicou o delegado Marcelo Lanhoso de Lima, titular do 1º DP.

Fotos: Valéria Cuter