Polícia Civil reconstitui o assassinato de corretor

Na tarde desta segunda-feira, a Polícia Civil e Polícia Técnica Científica de Botucatu fizeram a reconstituição do assassinato cometido contra o corretor de imóveis Laurindo Pires Marques, de 68 anos, conhecido como Português, ocorrido no dia 27 de abril deste ano.

Na ocasião, o corpo foi localizado pela Guarda Civil Municipal (GCM) caído à beira de uma estrada de terra num canavial ao lado de uma caminhonete Montana, placas DZI-2246, de Botucatu, no final da Avenida Prefeito Joaquim Amaral Amando de Barros, no Jardim Cambuí.

Os policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) apuraram que o crime teria sido arquitetado pela mulher do corretor, Antônia Eleta Santucci, que contratou quatro adolescentes, entre eles uma menina de 16 anos e um rapaz chamado Leandro Rogério Telis, de 19 anos.

Alegou a acusada que estaria sendo traída pelo marido e era agredida pelo mesmo. Orientados pela mandante os executores invadiram a residência do casal e mataram Marques por enforcamento no sofá da sala. Posteriormente, eles colocaram o corpo da vítima na sua própria caminhonete pick up que foi conduzida por Leandro para “desovar” o corpo em um local ermo do Jardim Cambuí.

Outro carro fez o acompanhamento para trazer Leandro para o centro da cidade, já que a caminhonete ficou no local, junto ao corpo. A esposa teria ido junto e acompanhado tudo de perto. Todos os envolvidos foram identificados e respondem por crime de homicídio duplamente qualificado.

Os acusados, moradores do Jardim Monte Mor relataram que receberam entre R$100,00 e R$ 300,00 e foram contratados pela mulher da vítima para dar um susto no marido, mas na hora teria mudado de idéia e ordenado para matá-lo.