Polícia Civil próximo de prender assassino da Cohab I

O Serviço de Inteligência da Polícia Civil de Botucatu, através da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), está muito próximo de prender o autor do assassinato cometido no final da tarde da última terça-feira (15), quando foi executado o desempregado Leonardo Murales, de 30 anos de idade, conhecido como Léo ou Leozinho. O crime aconteceu na Rua José Menino Martins (antiga Rua 32), no Conjunto Habitacional Humberto Popolo – Cohab I.

De acordo com o delegado titular da DIG, Celso Olindo, através de contatos feitos com familiares, várias testemunhas e pessoas que tinham conhecimento do dia a dia da vítima, o principal suspeito já foi identificado e poderá ser preso a qualquer momento.

“Já dissemos desde tomamos conhecimento do assassinato que, pelas características do crime, tudo leva a crer que tenha sido cometido por vingança, provavelmente, dívida com o tráfico. Temos o nome do principal suspeito que está sendo procurado. Ele já é conhecido nosso e seu nome, por enquanto, vamos manter em sigilo para não atrapalhar a investigação”, disse o delegado titular da DIG.

Outra possibilidade que não é descartada pela autoridade policial civil é que o principal suspeito pode não estar na cidade. “Já estivemos em locais em que ele costuma freqüentar, mas não foi localizado. Por isso, não podemos descartar a possibilidade de que esteja em outra cidade, mas a prisão dele é uma questão de tempo”, frisou Olindo.

{n}Relembrando o crime{/n}

Leonardo Murales estava caminhando pela calçada e ao chegar em frente ? sua casa no número 30, foi abordado por dois elementos ainda não identificados que estavam em um veículo Golf (ou Gol bola) de cor preta. O que estava no banco de passageiro desferiu vários tiros contra vítima que caiu na calçada esvaindo-se em sangue. A equipe de resgate do Corpo de Bombeiros esteve no local e prestou socorro a vítima que não resistiu aos ferimentos e veio a falecer. Os vizinhos não ouviram nenhum tipo de discussão. Somente os tiros.

O crime foi apresentado no Plantão Permanente ? delegada Rose Mary Ribeiro Dias, pelos policiais militares Forner e Sérgio Garcia. Também esteve no local a Guarda Civil Municipal (GCM) e os policias da equipe da Rondas Ostensivas Com Auxílio de Motocicleta (ROCAM), Roberto e Coneglian.

A DIG aguarda a conclusão do laudo pericial para saber quantos tiros foram disparados e quantos atingiram o corpo da vítima. Murales era bastante conhecido nos meios policiais e possuidor de uma ficha criminal (conhecida, popularmente, no dialeto da criminalidade como capivara) onde constam crimes de tráfico de entorpecentes, homicídio, roubo e furto.

Fotos: Macaru