PM registra a terceira vítima fatal desta semana no trânsito

Na tarde desta sexta-feira a Unesp anunciou, oficialmente, a morte de um jovem de 19 anos de idade, chamado Lucas José dos Santos, que havia sido internado na noite de quarta-feira, por volta das 23 horas, em razão de ter sofrido um acidente com sua motocicleta na Rodovia Domingos Sartori, principal acesso de Botucatu ao Distrito de Rubião Júnior/Unesp.

Consta que Lucas Santos, conhecido como Lucão, trafegava com sua moto pela citada rodovia quando, na altura do Parque das Cascatas, perdeu o controle de direção do veículo e caiu, batendo com a cabeça no asfalto. Ele foi socorrido, em estado grave, pela viatura da Concessionária Rodovias Tietê e internado no Pronto Socorro da Unesp, onde resistiu por algumas, até vir a óbito. Seu corpo foi sepultado neste sábado. Ele morava no Jardim Itamarati.

Coincidentemente, outras duas pessoas de uma mesma família, que também residiam no Itamarati, perderam a vida em dois acidentes de trânsito ocorridos na quarta-feira em horários e situações diferentes. O adolescente Matheus de Paula Lopes, de 15 anos de idade, trafegava com sua bicicleta e perdeu a vida a o bater na lateral de um Fiat Uno no cruzamento das Ruas Luzia Damasceno Pontes com a Benjamin Figueiredo no Jardim Itamarati, por volta das 12 horas. Matheus foi socorrido pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros em estado grave e conduzido ao Pronto Socorro (PS) da Unesp, mas não resistiu aos ferimentos e veio a falecer no início da tarde do mesmo dia.

O outro acidente com vítima fatal aconteceu por volta das 20 horas, no cruzamento das Ruas João Batista Carnieto com a Darciso Coneglian, na região Jardim Itamarati. A vítima foi o mototaxista Márcio José Quirino, de 31 anos, que é primo do adolescente Matheus Lopes que havia falecido no início da tarde, após cair de sua motocicleta. O mais trágico é que Quirino saiu de sua casa, exatamente, para velar o corpo do parente. Ele foi socorrido pelos bombeiros, mas faleceu ao dar entrada no Pronto Socorro (PS) da Unesp.

{n}Perigo das motocicletas{/n}

Com o registro desses três acidentes fatais, envolvendo motocicletas e bicicleta, o major Marcelo Oliveira, coordenador operacional do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), voltou a enfocar que existe uma preocupação muito grande em relação aos acidentes de trânsito que envolvem veículos de duas rodas, pois eles totalizam 70% dos casos, numa média diária de oito Boletins de Ocorrências (BOs).

As motocicletas estão inseridas em dados da Ciretran, mostrando, por intermédio de gráficos, que estão registrados em Botucatu cerca de 70 mil veículos circulando pela cidade, média de um veículo para cada dois habitantes. Isso sem contar os chamados veículos flutuantes, ou seja, aqueles que não são de Botucatu e apenas passam pela cidade ou permanecem por algumas horas ou poucos dias.

“Desenvolvemos um trabalho no intuito de alertar os motoqueiros, já que a maioria dos acidentes são ocasionados em razão da imprudência e imperícia dos condutores, principalmente em cruzamento de vias. O agravante é que todos os acidentes com motos geram vítimas, algumas graves e outras fatais”, advertiu o major da PM.

É muito comum em horários de pico observar motociclistas “serpentear” entre os carros, colocando suas vidas e as vidas dos semelhantes em risco. Orienta o major que, além de campanhas educativas, bloqueios e atuação DET na colocação de placas sinalizadoras em locais de risco, é fundamental que haja conscientização por parte dos condutores de motocicletas.

“Estatisticamente, o erro humano é responsável por 90% dos acidentes registrados e as causas mais comuns são: velocidade excessiva, dirigir sob efeito de álcool ou de outro tipo de droga, distância insuficiente em relação ao veiculo dianteiro, desrespeito ? sinalização, imprudência e imperícia” enumera o major da PM. “Por isso estamos buscando sempre elaborar trabalhos preventivos com o intuito de orientar condutores de veículos para que respeitem as normas da lei vigente”, complementou.