PM recebe orientação sobre valorização profissional

A Polícia Militar do Estado de São Paulo (PMESP) em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (SENASP) lançou o Programa Permanente de Valorização Profissional. Entre outros objetivos, tal projeto visa melhorar e ampliar os recursos e as práticas relacionadas ? valorização profissional, ? qualidade de vida e ? gestão estratégica de Recursos Humanos, quer por meio da integração, quer por meio de investimentos específicos nos órgãos relacionados ao atendimento e sensibilização do público interno da Polícia Militar.

Com a valorização profissional obtém-se: maior integração entre os órgãos de segurança do Estado de São Paulo, implemento da autoestima do profissional de polícia, aumento significativo em sua qualidade de vida e consequentemente a diminuição da possibilidade de afastamento por problemas de saúde, questões que refletem em ganho direto e primordial ? sociedade, que poderá contar com um profissional de polícia, capacitado, gabaritado e disposto a exercer com excelência a sua missão.

Dessa forma, imbuída ter profissionais com tal perfil, a PMESP, por intermédio do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I) de Botucatu, promoveu uma palestra sobre questões posturais, a qual foi ministrada pelo fisioterapeuta Daniel Fonseca, que focou a questão na saúde e qualidade de vida do policial militar, buscando conscientizá-lo e trazer a ele maior compreensão acerca da importância da saúde postural, evitando-se certos vícios, como, por exemplo, sentar-se de forma incorreta na cadeira ou permanecer, por muito tempo, apoiado em apenas uma das pernas, questões estas que comprometem a saúde da coluna, além de abordar aspectos relativos ? s medidas de controle e prevenção, tudo para que tais profissionais pudessem compreender a real importância de uma boa saúde da coluna e do aparelho locomotor.

Os participantes da palestra ficaram, por vezes, assustados, diante do esclarecimento de questões aparentemente simples, que, em um primeiro momento não parecem ser prejudiciais, mas que no transcorrer dos anos podem afetar gravemente a saúde da coluna. Por outro lado, ficaram entusiasmados e tranquilos, quando o fisioterapeuta expôs as medidas de prevenção, bastantes simples e que bastam ser implementadas por cada um em sua rotina, sem necessidade de quaisquer aparelhos ou gastos.

Porém, o profissional foi também enfático e realista ao apontar que, caso a prevenção seja negligenciada, consequências desastrosas podem acometer a cada cidadão, momento em que será necessária a busca de profissionais especializados para efetivação de um tratamento direcionado e acompanhado, para que não se chegue a casos mais acentuados, quando talvez, apenas uma intervenção cirúrgica possa ajudar.