PM realiza treinamento prático e teórico de tiro

Na manhã desta quinta-feira policiais militares das 13 cidades da região que fazem parte da área de comando do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM), de Botucatu, estiveram participando de um treinamento prático e teórico de tiro, no stand que fica na cidade de São Manuel, onde estava instalada sede do Tiro de Guerra (TG).

A instrução dada pelo tenente Cagliari e sargento Somadossi foi dividida em duas etapas: aula teórica com disparos em alvos fixos em diferentes posições e aula prática, onde os policiais em duplas, invadem uma residência e se deparam com diferentes situações, tendo que agir rápido para defender sua vida e salvar vítimas das mãos de bandidos.

Na invasão da casa são colocados alvos de uma pessoa apontando revólver para o policial, prestes a disparar e ele tem que agir rápido para defender sua vida. Em outra situação o marginal está armado com uma faca, onde o policial tem que usar o dom do convencimento para fazer com que se entregue. Numa terceira simulação o marginal tomou uma vítima como refém.

“São situações distintas e cada uma existe uma ação diferente e o policial tem que estar preparado para o enfrentamento e só irá atirar se for para defender a sua vida, agindo antes que o marginal, procurando atingir a parte frontal (tórax e abdome). Em outra, quando a arma for uma faca, ele usa palavras de ordem para que o marginal jogue a faca no chão e coloque as mãos na cabeça. Numa terceira situação, o marginal toma uma vítima de refém e é necessário o diálogo para fazer com que se entregue”, enumera o tenente Cagliari.

O tenente da PM diz que nessas situações o policial tem que pensar numa fração de segundos e ter cuidado para não ferir inocentes. “O disparo só é feito em último caso, quando a vida do policial está em eminente risco. Esse treinamento é para isso. Por isso, durante o treinamento, ao entrar na casa encontra situações em que têm que usar o dom do diálogo, o dom da palavra para fazer o bandido se render ou atirar antes que o marginal atire”, explica Cagliari.

O sargento Somadossi, enfoca que o treinamento é feito em dupla, com um PM dando proteção ao outro. O desempenho de cada dupla é anotado em um relatório onde é apontado cada passo da ação, com pontos dados a cada dupla. “Se caso uma dupla não conseguir atingir os pontos necessários, ela volta a fazer o simulado, quantas vezes for necessário”, comentou o sargento da PM.

“E isso não é uma competição, pois procuramos não mostrar o percentual de pontos que cada dupla conseguiu. Ou a dupla passa no teste ou faz novamente. O importante para nós é que policial saia do treinamento, apto para agir”, acrescentou Somadossi.

{n}Fotos: Valéria Cuter

{bimg:23079:alt=interna1:bimg}