PM prende suspeitos de estarem arquitetando assaltos

Fotos – Acontece Botucatu

 

Na revista ao interior do veículo que estava com a placa irregular os policiais militares localizaram vários capuzes, comumente usados em assaltos, dois simulacros (réplicas) de pistola e um frasco de éter

 

Um trabalho realizado pelo cabo Rafael Bianchi e soldado Moreno na tarde desta terça-feira resultou na prisão de três pessoas que acabaram indiciadas pelo delegado Lourenço Talamonte Neto acusados em crimes de adulteração de sinal de veículo e associação ao crime.  São eles: Neianderson,  o Nei (26);  Daniel, o Pé de Pano (25); e o construtor de nome Gladinei, de 53 anos.

Tudo começou quando os policiais faziam patrulhamento pela Rua Dante Trevisani, no Parque Serra Negra,  e desconfiaram de um veículo Fiat Palio, placas BQF-3666, de São Manuel,  que estava sendo conduzido por Gladinei. Ao fazer o levantamento da placa do carro foi constatado que ela pertencia a um Templa de Pardinho e não ao Fiat, cuja placa original é CJE-6173.

Foi então feita a abordagem e na revista ao interior do veículo localizado várias capuzes, comumente usados em assaltos, dois simulacros (réplicas) de pistola e um frasco de éter. No porta-malas, estavam a verdadeira placa do Pálio e outra (placa) adulterada.  Os três receberam voz de prisão e apresentados ao Plantão Permanente, onde foram inquiridos pelo delegado, antes de serem recolhidos à Cadeia Pública de Itatinga, onde permanecem à disposição da Justiça.

“Está em investigação vários casos de roubos que ainda não foram  esclarecidos. Não podemos descartar a possibilidade de que eles estejam envolvidos em alguns deles. Os objetos aprendidos são típicos dessa modalidade de crime. Agora isso tudo será apurado”, colocou o cabo Bianchi.

Gladinei  alegou que desconhecia que os objetos estavam na mochila da dupla.  “Eu também sou construtor e estava levando os dois para fazer o conserto do telhado de uma casa, quando a polícia abordou. Respondo pela placa trocada. Isso, eu reconheço, pois existem muitas multas com a placa original e o carro poderia ser apreendido.  Quanto aos objetos não sabia de nada e fiquei assustado com a abordagem. Cheguei a pensar que eles poderiam estar com droga”,  disse. Os outros dois envolvidos não quiseram se manifestar.

O delegado Lourenço Talamonte adiantou que os três foram indiciados na mesma tipificação de crime e o inquérito policial será aberto para apurar o caso. “A lei é igual para todos e eles terão o direito a se defender no tempo certo. Agora estão todos presos em flagrante e à disposição da Justiça”, disse o delegado.