PM desencadeia a operação “Impacto Integrado” na região

Em comemoração ao 36º aniversário do Comando de Policiamento do Interior Sete (CPI-7) foi realizada uma megaoperação denominada “Impacto Integrado” em todos os batalhões de planejamento, coordenação, apoio e fiscalização das ações operacionais de preservação da ordem pública no 7º BPM/I, sediado em Sorocaba.

Fazem parte do CPI-7 o 12º BPM/I, sediado em Botucatu; 22º BPM/I, em Itapetininga; 40º BPM/I, em Votorantim; 50º BPM/I, em Itu; 53º BPM/I, em Avaré; e 54º BPM/I, em Itapeva. A determinação da coronel Fátima Ramos Dutra, comandante do CPI-7 era para que a operação fosse feita no período compreendido entre 14 ? s 22 horas.

Em 12º BPM-I que é responsável por uma região que abrange 13 cidades, iniciou a operação 14 horas. De acordo com o comandante interino major Jorge Duarte Miguel, foi utilizado todo seu contingente operacional e administrativo, tidas as viaturas e motocicletas, além do apoio do helicóptero Águia. Antes de a operação ter início houve uma reunião onde foram definidos os detalhes da operação.

Durante o trabalho os policiais fizeram patrulhamento em pontos estratégicos da Cidade, vistoriando carros e motos, fiscalizando bares e locais conhecidos como “biqueiras” de vendas de entorpecentes, captura de pessoas procuradas pela Justiça e apreensão de armas ilícitas, entre outras operações.

Major Jorge Miguel salienta que foi usado todo contingente administrativo e equipes especializadas como a Força Tática e Rondas Ostensivas com Auxílio de Motocicletas (ROCAM), para cumprimento de mandados de busca e apreensão e bloqueios nas entradas e saídas de bairros. “É fundamental desenvolver ações deste tipo, que acabam influenciando na geração de ocorrências não apenas no centro da cidade, mas também nos bairros”, disse o comandante do 12º BPM-I.

Entende o major que pessoas idôneas vendo a polícia desenvolver o trabalho, acabam tendo a sensação de segurança. “Se for uma pessoa que está ? margem da lei, pensa que poderá ser fiscalizada, e se estiver cometendo algo ilícito, poderá ser pega. Então, acaba inibindo a atividade criminosa. Por isso, além dos resultados com pessoas presas, abordadas, notificadas, veículos recolhidos e tudo o mais, tem este indicador que é a percepção da população como um todo em relação a estar seguro ou não”, analisou Jorge Miguel que irá apresentar o relatório com os números da operação.

Fotos: Valéria Cuter