PM apreende adolescente considerado o “reizinho do tráfico”

Cabo Gilberto e soldado Forner foram os responsáveis pelo flagrante de um ato infracional por crime de tráfico de entorpecentes com a apreensão de um adolescente de 14 anos de idade, que diz ser conhecido como “reizinho do tráfico” e há muito tempo estava na mira da polícia, mas sempre conseguia escapar do flagrante.

“Estávamos fazendo o patrulhamento preventivo/ostensivo quando percebemos o adolescente sair correndo ao visualizar a viatura, com um pacote na mão. Nós o perseguimos e fizemos sua apreensão”, relatou o cabo Gilberto. “Em seu poder encontramos 37 pedras de crack e 12 porções de cocaína”, emenda o soldado Forner.

A operação policial aconteceu na Rua Maria Joana Feliz Diniz, região da Vila Mariana, onde o adolescente que praticava o tráfico foi apreendido e encaminhado a Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE), onde foi sindicado pelo delegado Carlos Antônio Improta Julião Filho e recolhido a uma cela especial na Cadeia Pública de São Manuel, ficando ? disposição do juiz da Vara da Infância e Juventude.

O delegado enalteceu a ação da PM, já que a adolescente vinha sendo observado pela delegacia especializada há algumas semanas. “Apuramos que ele trabalha para o tráfico naquela região da cidade por cerca de 12 horas por dia. Ele mesmo confessou que fica das 8h30 ? s 20h30 na “biqueira” até que um outro venha substituí-lo para ficar outras 12 horas. Quando necessário chega a dobrar escala e ficar 24 horas na rua vendendo droga, ganhando 30% sobre o montante vendido”, relata o delegado. “Ele numa dobrada de “serviço” contou que vendeu 500 porções de droga, mas não declinou o nome da pessoa que o abastece”, emendou Julião Filho.

Revelando ser usuário de maconha e cocaína (garante que não usa crack), o adolescente diz que entrou para o tráfico quando tinha 12 anos de idade. “Já estou a dois anos na “fita” (no tráfico) e fui detido algumas vezes, mas nunca me pegaram traficando. Agora vou preso, mas não sou perigoso e espero sair logo. Quando sair vou ficar longe disso”, prometeu o adolescente que esteve acompanhado na delegacia pela mãe e irmã.

Fotos: Valéria Cuter