Patrulha Ambiental da GCM faz apreensão de motosserra e tatu

A equipe do Grupo de Patrulha Ambiental (GPA) da Guarda Civil Municipal (GCM) compareceu na Avenida Ana Thadei Leite, no Bairro do Lavapés, para averiguar a denúncia de que três indivíduos estavam fazendo a poda de árvores ali existentes, de maneira irregular.

Na abordagem os acusados, ao serem indagados quanto ? autorização para a realização da poda que deveria ser emitida pela Secretaria do Meio Ambiente, relataram que foram contratados pelo proprietário da residência onde as árvores estão plantadas e desconheciam a necessidade da autorização.

Foi tentado contato com o referido proprietário da residência, via telefone, mas sem êxito e constatado a poda de seis árvores, conhecidas como “pata (ou casco) de vaca”, com poda drástica em três delas. Para este “serviço” os averiguados estavam utilizando uma motoserra modelo 268 e nenhum deles tinha licença exigida por lei, para manusear o equipamento.

A motoserra foi recolhida e juntamente com as partes acabou encaminhada ? 1ª Central de Polícia Judiciária onde o delegado Marcelo Lanhoso de Lima elaborou o Termo Circunstanciado (TC) de natureza crime ambiental, conforme artigo 51 da Lei nº 9605/98 (Lei de Crimes Ambientais). A motoserra ficou apreendida e os envolvidos foram liberados.

{tam:25px}{n}Encontro de Tatu{/n}{/tam}

Em outra operação, esta desenvolvida na Avenida Mário Sartor, na Vila Paulista, os agentes da Ambiental fizeram o resgate de um tatu que estava preso em um barril. O animal foi recolhido e encaminhado ao Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres (CEMPAS), da Unesp, onde foi entregue ? equipe do professor/doutor Carlos Teixeira. Entretanto, como o animal estava muito debilitado, não resistiu e acabou morrendo.