Padrasto acusado de abuso sexual contra menina de cinco anos

Um flagrante registrado no Plantão Permanente que teve início na tarde deste domingo (8) com a delegada Ana Carolina de Brito e terminou com o delegado Sérgio Castanheira por volta das 19h30, teve como indiciado o técnico de refrigeração conhecido como Jean Chicó, de 40 anos de idade, acusado por crime de estupro de vulnerável (criança). Esse cidadão foi preso numa operação realizada pelos policiais militares Márcio e Marchesine, tendo no apoio o sargento Laudo e soldado Doriguel.

Uma mulher de nome Daniela, que mora na Rua Curuzu região central da cidade acionou a PM através do telefone 190, denunciando seu amásio Niedson Chicó de prática de crime de estupro de vulnerável. Segundo a mulher ele estaria abusando sexualmente de sua filha de apenas cinco anos de idade.

A PM foi até a casa e prendeu o acusado em flagrante, fazendo o seu encaminhamento ao Plantão Permanente, juntamente com a vítima e sua mãe. A testemunha do crime seria o irmão da menina, que disse que sua irmã era a “namorada” de Chicó e quando sua mãe não estava em casa ele ficava embaixo do cobertor com ela.

O Conselho Tutelar compareceu ao local e a menina teria confirmado a versão do irmão. Disse que o padrasto passava a mão em suas partes íntimas, a deixava sem calcinha embaixo do cobertor e beijava sua boca. O exame de corpo de delito não revelou conjunção carnal.

O acusado aceitou em falar com a reportagem e negou a autoria do crime. “Não fiz nada disso, não senhor. Eu respeitava a menina e não ia fazer uma barbaridade dessas. Faz três meses que estou morando na casa da mãe dela e acho que ela tem ciúme da mãe. Não sei de onde ela tirou isso”, defendeu-se o acusado.

Depois de ser ouvido pela autoridade policial civil, o acusado foi indiciado em crime de estupro de vulnerável e recolhido ? Cadeia Pública de Conchas onde ficam os presos acusados de crimes contra os costumes (estupro tentado e consumado), aguardando julgamento. Nas próximas horas as pessoas envolvidas neste caso deverão prestar depoimento na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), onde o inquérito policial será aberto para apurar as denúncias.

Fotos: Jornal Acontece Botucatu

{bimg:22550:alt=interna:bimg}