Ossada humana encontrada no Marajoara ainda é mistério

Fotos: Luiz Fernando

A investigação que está sendo desenvolvida pela equipe da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) sob o comando do delegado Geraldo Franco Pires para identificar uma ossada humana, provavelmente, de mulher encontrada na manhã do último dia 21 de agosto, no Loteamento Central Park, no Parque Marajoara, ainda se constitui em um mistério. Além da ossada de vários anos, alguns objetos pessoais que estavam ao lado foram colhidas para possível reconhecimento de familiares.

Essa ossada foi encontrada pelo operador de máquina pá-carregadeira, Clóvis Leandro, fazia escavação em um determinado local do loteamento onde estavam os tubos das galerias de esgoto e percebeu que um objeto estranho estava junto ? terra a dois metros de profundidade. Desconfiado, interrompeu o trabalho e foi verificar. Para sua surpresa era uma ossada, enrolada por um cobertor bastante velho.

O delegado revela que está fazendo o levantamento de pessoas que estão desaparecidas nos últimos dez anos e convidando familiares para fazer o reconhecimento dos objetos . “Seguimos essa linha de investigação e acredito que esse caso será resolvido. O primeiro passo é identificar a quem pertence essa ossada para depois descobrir quem se livrou do cadáver. Esperamos fechar esse caso o mais rápido possível”, frisou Franco Pires.