Onda de assassinatos deixa PM em alerta

Recentes assassinatos de policiais militares registrados em São Paulo e em cidades do interior, assim como ataques ? s bases, estão preocupando o comando geral. Pelo menos 38 PMs (30 a paisana e 8 fardados em trabalho) já perderam a vida nas mãos de criminosos este ano. A suspeita é que os ataques estariam ligados a uma facção criminosa que age na capital paulista e em outras cidades interioranas de médio e grande porte. Os ataques se intensificaram nos últimos dias.

O comandante geral da PM, Roberval Pereira França afirma que não há nada que indique que estes crimes sejam ação orquestrada. “Toda a estrutura policial trabalha junta para que os autores sejam rapidamente identificados e presos. Vários casos registrados estão prestes a serem esclarecidos e a PM não vai descansar enquanto os responsáveis não forem identificados e presos”, afirmou.

Embora nenhum caso tenha sido registrado em Botucatu (o mais próximo foi Bauru) os policiais estão atentos e receberam do comandante geral uma recomendação, com o seguinte teor: “A condição de policial militar nos acompanha 24 horas por dia e a atividade criminosa pode ocorrer em locais e horários inesperados, Assim, estando fardado ou civilmente trajado, em serviço ou de folga, esteja sempre alerta. O estado de atenção permanente possibilita que você antecipe as ações de infratores, salvaguardando suas vidas”.

O Coordenador Operacional do 12º Batalhão de Polícia Militar de Botucatu (BPM-I), major Marcelo Oliveira diz que algumas medidas foram tomadas para preservar a integridade física dos policiais, por determinação do comandante geral.

“Alertamos nossos policiais sobre o que está acontecendo, aumentamos o efetivo convocando os homens do serviço administrativo para o patrulhamento preventivo, cortamos algumas folgas e orientamos para que tenham mais atenção”, disse o major da PM. “Isso não quer dizer que iremos ser atacados. É uma medida preventiva e de orientação”, emendou Marcelo Oliveira.

Também foi redobrada a atenção na sede da Guarda Civil Municipal (GCM) e o Plantão Permanente da Polícia Civil está atendendo somente quando uma viatura da PM ou da GCM estiver presente.