Mulher vai a júri popular por esfaquear amiga

O juiz titular da 2ª Vara Criminal da Comarca de Botucatu, Marcos Vinícius Bachiega, irá presidir nesta quinta-feira (21) os trabalhos do julgamento da ré Silvia Regina de Souza Francisco, denunciada como autora da tentativa de assassinado cometida contra Lucilene Pereira.

Retrata a denúncia do Ministério Público que no dia 12 de abril de 2003, por volta das 22h35, na Rua Carlos de Rosa, nº 156, Jardim Santa Mônica, a acusada tentou matar a vítima Lucilene Pereira, pelas costas, com um golpe de faca, utilizando-se de recurso que dificultou a defesa da ofendida.

As mulheres que eram muito amigas (segundo o processo) depois de passarem a tarde bebendo juntas, ficaram embriagadas, se desentenderam e acabaram discutindo. A acusada teria apanhado uma faca de cozinha e, quando a vítima estava de costas, desferiu um golpe nessa região, com a intenção de matá-la. Nos autos ainda consta que depois da facada a ré teria se arrependido, colocado vítima na cama e acionado o Corpo de Bombeiros para que fosse socorrida.

A acusação contra Silvia Regina em plenário será feita pelo promotor de Justiça, Marcos José de Freitas Corvino. Na defesa da ré estará a advogada criminalista Adriana Bogatti Guimarães Rizzo, que irá tentar convencer o Corpo de Jurados (composto por sete pessoas da sociedade botucatuense) para descaracterizar a tentativa de homicídio para lesão corporal.

As alegações de que a ré não teve a intenção de matar, agiu no calor da discussão e que estava embriagada, deverão ser discutidas e apreciadas pelo Tribunal do Júri, assim como as circunstâncias atenuantes sustentadas pela defesa.