Mulher simula roubo para esconder dívida do marido

O delegado Celso Olindo destacou que  a investigação revelou que a mulher simulou o assalto, pois o sistema de segurança não registrou nenhuma ocorrência anormal naquele ponto da cidade

 

Um trabalho desenvolvido pela equipe de policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) descobriu que uma mulher de 53 anos simulou um assalto na Rua Amando de Barros, região central  da cidade,  para tentar esconder  de seu marido uma dívida que havia contraído. A versão da mulher não convenceu o setor investigativo que levantou que o crime, realmente, não havia acontecido.

Na ocasião da comunicação do crime a mulher contou que por volta das 9 horas desta segunda-feira, após sair de uma lotérica na Rua Amando de Barros, região central da cidade, foi abordada por dois rapazes que estavam em uma motocicleta.  O que estava no banco de passageiros, mostrando uma arma (revólver), anunciou  o assalto, levando um anel, um relógio e R$ 1.700,00 em dinheiro.

O delegado Celso Olindo (foto) destacou que o trabalho investigativo revelou que a mulher havia simulado o assalto, pois o sistema de segurança não registrou nenhuma ocorrência anormal naquele ponto da cidade que tem um movimento bastante acentuado de pessoas durante o dia inteiro.

“Fomos, então, conversar com a mulher e ela acabou nos revelando que havia inventado esse roubo, pois não queria que o marido soubesse de uma dívida que havia contraído para fazer uma reforma”, revelou o delegado. “Por isso, ela simulou esse assalto e vai responder processo por falsa comunicação de crime”,  complementou.

 

Roubo em loja de suplementos

A DIG também trabalha para elucidar a um caso de roubo à mão armada  cometido contra um comerciante proprietário de uma loja de suplementos alimentares que funciona na Avenida Dom Lúcio, bem próximo a praça da igreja São José, região central da cidade. Esse cidadão passou por momentos de tensão e medo no final da tarde do último sábado em poder de dois marginais que invadiram seu estabelecimento comercial.

De acordo com o que está descrito no Registro Digital de Ocorrência (RDO) a dupla de marginais, ambos de capacetes, invadiu a loja, que já estava em final  de expediente, e tomou o proprietário de refém, sendo ele amarrado, amordaçado e trancado no escritório. Os marginais fugiram levando vários produtos da loja. “Como o trabalho está em andamento não vamos dar detalhes de como a investigação está sendo conduzida. Podemos adiantar que estamos perto do esclarecimento”, disse o delegado Celso Olindo.