Mulher é lesada por estelionatário no golpe da telefonia

Uma senhora de 50 anos de idade que pediu a omissão do nome, caiu no golpe da telefonia nesta quinta-feira (14) e acabou sendo lesada por um estelionatário em R$ 1.500,00. O caso foi registrado em Boletim de Ocorrência (BO) na 1ª Central de Polícia Judiciária.

Segundo apurou a polícia essa mulher recebeu um telefonema em seu celular de um cidadão que se identificou como diretor promocional de uma operadora de telefonia ressaltando que havia ganhado uma recarga grátis e foi orientada a se deslocar até um dos caixas eletrônicos da agência bancária onde tem conta corrente para que a transação fosse realizada.

Com grande poder de persuasão o estelionatário convenceu a mulher a digitar sua senha para que pudesse receber a promoção. Na verdade, o estelionatário acabou fazendo com que a mulher fizesse uma transferência direta para a sua conta. Quando percebeu que havia caído em um golpe o dinheiro já havia sido transferido e a mulher acionou a polícia.

O mais interessante é um comerciante que trabalha do lado de fora dessa agência bancária informou que ouviu um homem de meia idade conversando em seu telefone celular com uma pessoa (a vítima) falando sobre uma promoção de recargas. Ou seja, do lado de fora o estelionatário ficou observando os movimentos da mulher no interior do banco.

As características desse cidadão foram passadas ao setor investigativo da Polícia Civil, para que o caso seja investigado. “Nossa recomendação é que a pessoa tome os devidos cuidados para não cair nesse golpe e em hipótese nenhuma deve digitar sua senha para terceiros. Antes de realizar qualquer operação duvidosa a pessoa deve procurar informações com funcionários da agência bancária”, destacou o delegado Celso Olindo.

Outra recomendação da Polícia Civil é que as pessoas fiquem atentas com relação ao golpe do bilhete premiado que, embora seja muito divulgado, muitas pessoas continuam sendo lesadas. Nesse caso os estelionatários escolhem suas vítimas, geralmente idosos desacompanhados, fazem a abordagem e conseguem convencer as vítimas a acreditarem que estão de posse de um bilhete premiado e pedem ajuda para sacar o dinheiro. As vítimas persuadidas entregam certa quantia em dinheiro como sinal de confiança. O resultado é óbvio: os estelionatários desaparecem levando o dinheiro.

Foto: Divulgação