Mulher é assassinada no Bairro Alto em Botucatu; filho é o principal suspeito

 

A Polícia Militar de Botucatu registrou na madrugada desta segunda, 02, um caso de homicídio na Rua Independência, Bairro Alto. Segundo consta, a senhora Luzia Gonçalves da Silva, 57 anos, foi assassinada após sofrer espancamento. Os Cabos Ramalho e R. César da Polícia Militar atenderam a ocorrência. O filho é o suspeito principal. 
 
Segundo informações da Polícia, o filho da vítima e também suspeito, Luiz Antônio da Silva Maia, de 31 anos, acionou o 190 e disse que ao chegar da cidade de Cerquilho, encontrou o corpo da mãe caido ao chão. Ele teria colocado o corpo em uma cadeira envolto com cobertores, pois, segundo ele, a mãe já estava "gelada". 
 
"Em primeiro lugar fomos informados que a ocorrência era de encontro de cadáver, onde o filho encontrou o corpo da mãe no chão. Ele havia colocado o corpo em uma cadeira de praia, pois alegou que o corpo já estava gelado. Chegamos lá e vimos que ela estava com vários hematomas na região da cabeça e no braço. O filho disse que tentou contato via celular com a Polícia, não conseguiu, indo até a praça do Bosque em um orelhão, ou seja, bem longe do local para comunicar os fatos. Ele começou a se embaralhar nas declarações, dizendo que estava neste domingo em Cerquilho, onde foi dar baixa na carteira de trabalho, voltando para Botucatu de Van. Mas para delegada de Plantão disse que teria ido e voltado de ônibus. O que ele disse no Plantão era diferente do que foi dito para nós nisso e em outros pontos", disse o Cabo R. César ao Acontece Botucatu.
 
 
Segundo informações, havia um histórico de agressões do filho contra a mãe, sendo que os vizinho escutaram ela gritando socorro neste domingo, 01, após uma destas brigas. Apontado como suspeito, ele declarou que nada tinha com os fatos, mas pelos fortes indícios, teve sua prisão preventiva decretada pela delegada de Plantão Dra. Ana Paula Baston por ser considerado suspeito do crime. 
 
"Ele não declarou qualquer remorso ou tristeza com a morte da mãe. A casa estava totalmente bagunçada e ele disse que morava com a mãe, mas estava totalmente indiferente a morte dela", disse o Cabo Ramalho. O caso será investigado.