Motorista do assalto a uma pizzaria se entrega à polícia

Fotos: Valéria Cuter / divulgação

Na manhã desta quinta-feira, Marcos Jesus Vaz Júnior, de 19 anos de idade, acompanhado do advogado Danilo Carreira, compareceu na Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e se entregou ao delegado Geraldo Franco Pires, confessando sua participação em um assalto cometido no último dia 23 de dezembro (domingo) contra uma pizzaria instalada na Rua General Telles, região central da Cidade.

Era ele quem dirigia o veículo modelo Passat, placas CTD-1839, que levou os dois comparsas à cena do crime. Eles com as camisetas amarradas nas cabeças para ocultar seus rostos invadiram o estabelecimento comercial, um armado com uma faca e outro mostrou uma pistola que levava na cintura. Renderam duas pessoas na cozinha da padaria e levaram a quantia de R$ 2.900,00 que estava no caixa.

No dia 26 de dezembro último numa operação conjunta entre a Polícia Civil, Guarda Civil Municipal (GCM) e Polícia Militar (PM) foi preso Danilo Michel de Lima, de 21 anos de idade, apontado como um dos meliantes que invadiram a pizzaria. Lima estava cumprindo pena de quatro anos de reclusão por crime de tráfico de entorpecentes, preso em flagrante pela Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE) em 2010, mas recebeu benefício da saída temporária (conhecida como saidinha no dialeto carcerário) de Natal/Ano Novo e deixou o presídio dois dias antes do crime ser cometido. Ficaria em liberdade até as 18 horas do dia 02 de janeiro de 2013 e negou o envolvimento no assalto.

O terceiro suspeito de estar envolvido no roubo é um adolescente de 17 anos de idade, que conhecia o cotidiano daquele estabelecimento comercial, onde trabalhou como empregado. Ele é o único que ainda está foragido, mas seu advogado adiantou que poderá se entregar nas próximas horas.

Sem confirmar a identidade dos outros dois envolvidos, Marcos Júnior revelou que havia levado os comparsas até a pizzaria no Passat e ficou aguardando na rua a uma distância de dois quarteirões. Quando a dupla concretizou o assalto ele arrancou em alta velocidade sentido Vila Rodrigues. O veículo teve as placas anotadas e uma testemunha ainda seguiu o Passat por cerca de 500 metros, mas os assaltantes conseguiram fugir.

“Durante a fuga o carro acabou quebrando e tivemos que fugir a pé. Desde que eu saí para fazer isso (assalto) estava apreensivo, porque nunca participei de um lance desses e nunca tive passagens. Estou arrependido e daria tudo para voltar atrás e não fazer essa bobagem para receber R$ 600,00. Quando tive que abandonar o carro quebrado sabia que havia dado tudo errado e depois de alguns dias resolvi me entregar e pagar pelo meu erro”, disse Marcos Júnior, sem revelar o nome dos outros dois envolvidos. “Eu só falo por mim e de mim”, disse.

Na manhã de segunda-feira do dia 24 de dezembro, ou seja, um dia após o crime, os policiais militares tenente Kleber e soldados Bento e Rocha, localizaram o veículo utilizado no roubo abandonado pela Rua Antônio Botti, região do Bairro Alto e no seu interior encontraram a faca e uma pistola de brinquedo que estava na cintura de um dos marginais. A particularidade é que esse carro quebrou em frente à casa de um policial civil e uma câmera de segurança gravou o grupo tentando colocar o carro em movimento.

O advogado Danilo Carreira ressaltou que irá preparar a defesa de Marcos Júnior para que ele permaneça o menor tempo possível na cadeia. “Independente de ele ser meu cliente é um rapaz que nunca se envolveu com a criminalidade, tem residência fixa, emprego, família e bons antecedentes. Na ânsia de ganhar dinheiro fácil acabou se envolvendo nesse crime”, destacou o advogado defensor.