Motocicletas lideram ranking dos acidentes com vítimas

Na tarde desta quarta-feira a reportagem do Jornal Acontece flagrou mais um acidente de trânsito em Botucatu envolvendo motocicleta. Desta feita, no cruzamento das Ruas João Passos com a Major Leônidas Cardoso, região central da cidade, saindo-se como vítima uma jovem de 20 anos de idade de nome Rosângela Cristina Farinha, que estava em uma motocicleta e bateu contra um VW Gol.

Com traumatismo em uma das pernas e braço, a vítima foi socorrida pela equipe de resgate do Corpo de Bombeiros, imobilizada na maca e encaminhada ao Pronto Socorro (PS) da Unesp, onde permaneceu em observação médica.

Estatísticas da Polícia Militar (PM) revela que em média, acontece em Botucatu oito acidentes de trânsito todos os dias e, pelo menos, 60% deles tem envolvimento de motocicletas. Com isso, os acidentes de trânsito lideram o ranking das ocorrências policiais. O agravante é que todos os acidentes envolvendo motos resultam em vítimas, algumas graves.

O fluxo de veículos em Botucatu principalmente nas regiões mais centralizadas é intenso em razão de estarem cadastrados na Ciretran de Botucatu, que tem no comando o delegado Mauro Sérgio Rodrigues dos Santos, algo em torno de 60 mil veículos circulando pela cidade. Isso sem contar os chamados veículos flutuantes, ou seja, aqueles que não são de Botucatu e apenas passam pela cidade ou permanecem por algumas horas ou poucos dias.

Segundo o major Marcelo Oliveira, coordenador operacional do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I), de Botucatu, a maioria dos acidentes é ocasionada em razão da imprudência e imperícia dos condutores de motocicletas, principalmente em cruzamento de vias. O oficial revelou uma queda no índice dos acidentes, comparado com o ano de 2009, mas ainda assim ele alertou que a situação é grave.

“Essa média já foi mais alta e a PM registrava 12 acidentes por dia. Com campanhas educativas, bloqueios policiais, além de um trabalho sincronizado da PM com o Departamento de Engenharia e Tráfego (DET), na colocação de placas de sinalização em pontos estratégicos e conflitantes, tivemos queda nas ocorrências de acidentes de trânsito na cidade. Entretanto, ainda temos um número significativo de ocorrências desta natureza”, frisou o major da PM.

O oficial revela que, embora o índice tenha caído, a PM vai continuar realizando campanhas educativas, com a finalidade de orientar os condutores de carros e motocicletas. “Sabemos que não iremos zerar os acidentes de trânsito, mas poderemos buscar alternativas para diminuir ainda mais o índice de acidentes nas ruas da cidade”, enfocou o major da PM.

E isso, continua o oficial da PM, será feito com outras campanhas educativas, bloqueios e atuação DET na colocação de placas sinalizadoras em locais de risco. “Mas, além disso, é fundamental que haja conscientização por parte dos condutores de veículos, principalmente o que conduzem motocicletas, para que obedeçam as placas sinalizadoras e respeitem a lei vigente”, acrescentou Marcelo.

Alerta o major da PM que, de uma maneira geral, o erro humano é responsável por mais de 90% dos acidentes registrados e as causas mais comuns são: velocidade excessiva, dirigir sob efeito de álcool ou de outro tipo de droga, distância insuficiente em relação ao veiculo dianteiro, desrespeito ? sinalização, imprudência e imperícia.

Fotos: Valério A. Moretto