Motocicletas estão envolvidas em 70% dos acidentes de trânsito

Registros do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I) do Interior, de Botucatu, demonstram que acidentes envolvendo motocicletas estão se tornando corriqueiros na Cidade. A subcomandante do 12º Batalhão de Polícia Militar do Interior (BPM-I) de Botucatu, capitão Kátia Regina Christófalo revela que existe uma preocupação muito grande em relação aos acidentes de trânsito que envolvem motocicletas, pois eles totalizam 70% dos casos, numa média diária de sete Boletins de Ocorrências (BOs).

A capitão enfoca que as motocicletas estão inseridas em dados da 6ª Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran), mostrando, por intermédio de gráficos, que estão registrados em Botucatu cerca de 70 mil veículos circulando pela cidade, média de um veículo para cada dois habitantes. Isso sem contar os chamados veículos flutuantes, ou seja, aqueles que não são de Botucatu e apenas passam pela cidade ou permanecem por algumas horas ou poucos dias.

“Desenvolvemos um trabalho no intuito de alertar os motoqueiros, já que a maioria dos acidentes são ocasionados em razão da imprudência e imperícia dos condutores, principalmente em cruzamento de vias. O agravante é que todos os acidentes com motos geram vítimas, algumas graves e até fatais”, advertiu a capitão da PM.

É muito comum em horários de pico observar motociclistas “serpentear” entre os carros, colocando suas vidas e as vidas dos semelhantes em risco. “Além de campanhas educativas, bloqueios e atuação do Departamento de Engenharia de Tráfego (DET), vinculado ? Secretaria Municipal de Transporte (Semutran), na colocação de placas sinalizadoras em locais de risco, é fundamental que haja conscientização por parte dos condutores de motocicletas”, orienta Kátia Christófalo.

Outro detalhe citado pela oficial da PM é com relação ao estado de conservação dos veículos e ao correto uso dos equipamentos de segurança que são obrigatórios por lei. “Trafegar sem o capacete, por exemplo, ou mesmo não colocá-lo de maneira adequada, pode resultar em ferimentos de graves proporções. Também é previsto na lei a utilização do cinto de segurança nos carros”, destacou.

Estatisticamente, o erro humano é responsável por 90% dos acidentes registrados e as causas mais comuns são: velocidade excessiva, dirigir sob efeito de álcool ou de outro tipo de droga, distância insuficiente em relação ao veiculo dianteiro, desrespeito ? sinalização, imprudência e imperícia. “Por isso, estamos buscando sempre elaborar trabalhos preventivos e repressivos com o intuito de orientar e punir condutores de veículos para que respeitem as normas da lei vigente”, complementou a capitão da PM de Botucatu.