Migrante em idade avançada recebe ajuda da GCM

Durante realização do Programa de Patrulhamento Orientado ao Patrimônio Público Municipal (PPOP), da Guarda Civil Municipal (GCM) na Praça Pedro Torres, região central da Cidade, a guarnição formada pelo inspetor Trombaco e o agente Celso atenderam a um senhor de 69 anos de idade.

O homem estava de passagem pela cidade e não tinha onde pernoitar, estando, aparentemente, com boa saúde e reclamou apenas de dores nas pernas e frio. Ele foi conduzido ao Projeto do Centro de Atendimento ao Migrante e Mendicância (Camim) onde foi aos cuidados da equipe de plantão para pernoitar e posterior passar por atendimento da Assistente Social. Foi esse o 114º caso registrado deste tipo atendimento da GCM à pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Segundo a assistente social  Neide Zonta, que trabalha da entidade que agrega 14 funcionários, pessoas de diferentes regiões do País são atendidas e trazem os mais variados problemas. Como não têm recursos são assistidas por alguns dias e vão embora. São oferecidas quatro refeições por dia e conforme o caso, recebem passagens para que cheguem aos locais de origem.

“As pessoas saem dos seus estados em busca de uma vida melhor e acabam se espalhando pelo interior, chegando até Botucatu. O problema é que a maioria não tem qualificação, não consegue emprego, passa a morar na rua e busca ajuda. Aqui recebem atendimento, são alimentados e tomam banho. Alguns ficam algumas horas enquanto outros passam dias, até que retornem para suas cidades ou estados de origem”, comenta a assistente social. “Cada pessoa que passa por aqui tem uma história de vida diferente. Por isso, cada caso é tratado isoladamente”, emenda.