Menina de 12 anos é molestada por homem de 57

Mais um caso de importunação ofensiva ao pudor está sendo investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM). Desta feita, a acusação é contra um homem de 57 anos que teria molestado uma menina de 12 anos de idade. A denúncia foi feita no início da noite dessa quinta-feira, no Plantão Permanente e registrada em Boletim de Ocorrência (BO) pelo delegado Geraldo Franco Pires. Este é o quarto caso grave envolvendo crianças, que foram registrados neste mês de maio.

Consta que esta menina saiu da escola e estava caminhando pela Praça Expedicionário Francisco Joli, no Jardim Peabiru, quando um senhor que estava em um veículo modelo Ford Escort a abordou e passou a proferir palavras de baixo calão, convidando a menina a entrar no carro. No linguajar popular ele estaria “cantando” essa menina.

A adolescente teria saído correndo apavorada e revelou o caso aos pais que comunicou o crime ? Polícia Militar. O homem foi localizado no mesmo local onde a menina havia indicado. Ao ser questionado pelos policiais ele negou o crime, mas foi conduzido ao Plantão Permanente. Durante a abordagem, os policiais constataram que esse cidadão estava com a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vencida. Em razão disso, teve o carro recolhido.

Agora esse senhor deverá comparecer na DDM e prestar depoimento ? delegada Simone Alves Firmino Sampaio (foto), que em casos anteriores semelhantes adiantou que pela lei, a palavra da vítima vale mais do que a do acusado. “Vamos abrir o inquérito policial e procurar ouvir as duas partes envolvidas. De momento temos apenas a palavra da menina contra a palavra desse senhor acusado”, comentou a delegada.

{n}Outros casos{/n}

Outros três casos polêmicos e de alta complexidade, envolvendo criança com drogas e abusos sexuais estão sendo investigados pela DDM. Entre eles um estupro que teria sido praticado por um jardineiro de 73 anos de idade na região da Vila Maria. Esse senhor teria molestado uma menina de oito anos de idade. Embora ele negue o crime, a menina garante que foi molestada.

“Na nova legislação só o fato de uma pessoa adulta tocar nos órgãos genitais de uma criança ou adolescente já caracteriza o estupro. Não é necessário que o ato sexual seja consumado. No caso desse senhor que está sendo acusado, o que podemos dizer é que já ouvimos o acusado e a criança”, disse Simone Sampaio.

Segundo ela, o caso teria acontecido há cerca de um mês e os pais desconfiaram que algo errado estava acontecendo em razão da mudança de comportamento da menina. “Eles a questionaram e a menina contou que havia sido molestada. Esse senhor nega o crime e alega que a menina é que teria mostrado o corpo, mas ela não foi tocada. Então, estamos realizando as apurações necessárias para chegar ao esclarecimento”, disse a delegada.

Também está em fase final de investigação pela DDM um caso em que um cidadão de 22 anos teria molestado duas crianças no banheiro de um clube da cidade. No inquérito consta que esse rapaz teria mostrado seu órgão genital ? s crianças e pediu que elas o tocassem. Essas crianças teriam sido molestadas no mesmo local, mas em dias diferentes.

O caso mais grave, foi com relação ? morte de uma menina chamada Aghata de dois anos e três meses de idade. Ela morreu na semana passada e está sendo apurado se foi em razão de overdose de cocaína. Os vestígios de cocaína foram detectados no exame de urina desta menina por especialistas da Unesp, onde ela estava internada.

A delegada alega que está aguardando o laudo técnico da necropsia para que o caso seja esclarecido. “Já ouvimos as pessoas que conviviam com esta menina e nos próximos dias devo estar com esse laudo em mãos e aí sim poderemos saber a razões da morte dessa menina. Algumas hipóteses foram levantadas sobre como a menina teria ingerido cocaína. Mas, por enquanto, estamos nas hipóteses e antes desse laudo ser concluído, o caso não será esclarecido”, concluiu a delegada da DDM.

Foto: Fernando Ribeiro