Mecânico teve morte fulminante quando nadava

Foto: Reprodução Facebook

Uma tragédia marcou a família do mecânico Daniel Colaute, de 46 anos de idade, que morreu na piscina térmica da Associação Atlética Botucatuense (AAB), por volta das 21 horas dessa sexta-feira (29). Ele chegou ao clube acompanhado de sua filha de 15 anos e esposa. Ambas se deslocaram ? academia e ele foi praticar a natação.

Colaute teria sentido um mal súbito enquanto nadava (provavelmente, infarto fulminante) e morreu. Segundo o irmão da vítima, Jonas Colaute, a filha e a mulher de Daniel que retornavam da academia ao passar pelo setor de piscina para chamá-lo perceberam que ele estava boiando de bruços. A adolescente pulou na água com roupa e tudo para pegar o pai, sendo auxiliada por um associado que praticava natação e, até então, nada havia percebido.

“Naquela hora só havia uma pessoa na piscina e foi ele que ajudou minha sobrinha tirar meu irmão da água. Quando o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) e a equipe de resgate do Corpo de Bombeiros chegaram já era tarde demais”, disse Jonas, lembrando que a vítima ainda foi encaminhada ao Pronto Socorro (PS) do Hospital das Clínicas (HC) de Rubião Júnior, mas nada pode ser feito. “Ele também tinha um ferimento na cabeça e regurgitou água quando estava sendo massageado”, colocou Jonas.

Um dos diretores do clube salienta que todos os procedimentos foram feitos para tentar o salvamento, mas, infelizmente, Colaute acabou falecendo. “Estamos todos bastante abalados com esse acontecimento e agora vamos aguardar o laudo pericial para que a causa da morte seja esclarecida. O clube lamenta profundamente esse fato e presta solidariedade aos familiares”. Colaute havia ficado sócio no último dia 8 de novembro, fez aniversário no dia seguinte e morreu antes de completar um mês de clube.