Mais dois procurados acabam presos no Poupatempo

Está se tornando fator comum pessoas que estão com pendências na justiça, com a prisão decretada por envolvimento nos mais variados tipos de crimes,  serem presos ao regularizar a documentação no Poupatempo (Avenida Floriano Peixoto). Em muitos casos a pessoa não sabe que está com a prisão excedida.

A maioria dos casos envolve pessoas que deixam de pagar a pensão alimentícia.  Porém, nos dois recentes casos as pessoas tiveram a prisões decretadas por uso de documento falso e furto, crimes que não têm grande potencial ofensivo.  Nos dois casos os envolvidos foram conduzidos à Delegacia de Investigações Gerais (DIG) para confirmação dos dados.

Numa das prisões a Guarda Civil Municipal (GCM) compareceu ao local onde o atendente detectou que um indivíduo de 47 anos estava sendo procurado pela justiça pelo crime de uso de documento falso, mandado de prisão expedido pelo juiz da 2ª Vara Criminal da cidade de Conchas.

Também um cidadão de 25 anos, foi preso pelos agentes municipais Pedro e Batista, quando tentava solicitar documentos pessoais. Em consulta ao histórico de antecedentes criminais, o funcionário identificou uma pendência na justiça por condenação em crime de furto e constava no rol dos procurados.