Mais dois adolescentes são apreendidos por tráfico

Comprovando que continua crescendo o número de adolescentes que se enveredando pelo caminho do crime de tráfico de entorpecentes, a Polícia Militar (PM) realizou nesse final de semana a mais dois flagrantes em diferentes pontos da cidade e os envolvidos conduzidos ao Plantão Permanente e apresentado a delegada Simone Alves Tuono e, posteriormente, a uma cela especial da Cadeia Pública de São Manuel e serão apresentados ao Juiz da Vara da Infância e Juventude, Josias Martins de Almeida Júnior.

No cruzamento das ruas 1º de Maio e Marília, na Vila Antártica, foi apreendido um rapaz de 16 anos de idade com 13 blisters (pinos), R$ 40,00 e um telefone celular. A operação foi feita pelos policiais militares tenente Kleber e cabo Marcelo.

Ao ser detido o adolescente revelou que pratica o tráfico naquela região há um ano e seis meses e recebe um percentual de 30% sobre o montante das vendas. Também declarou que sua mãe teria conhecimento desta sua atividade ilícita.

Outra a apreensão de adolescente infrator envolvido com o submundo do tráfico de entorpecentes foi feita na Rua General Telles, região central da cidade, pelos soldados Godoy e Vaz. Desta feita foi apreendido com um menor de 15 anos de idade, 19 porções de cocaína, R$ 105,00 e um celular.

Questionado sobre a origem do entorpecente, esse adolescente infrator, que já é conhecido nos meios policiais, revelou que havia comprado na Cidade de Avaré para revender a usuários de Botucatu.

{bimg: 30450:alt=matando:bimg}

{n}{tam:25px}Adolescentes no tráfico{/n}{/tam}

Já há algum tempo o juiz titular da 1ª Vara Criminal e da Vara da Infância e Juventude, Josias Martins de Almeida Júnior, vem alertando sobre o aumento gradativo de adolescentes que se envolvem com o uso e tráfico de entorpecentes e o menor não é assistido como deveria ser e muitos acabam entrando para a criminalidade, incentivados, principalmente, por traficantes que oferecem o ganho do dinheiro fácil.

“Eles são levados ao crime, pois vêem a possibilidade de sustentar suas famílias e na maioria dos casos sustentar o próprio vício ocasionando um grave conflito social. A inclusão de adolescentes no tráfico de entorpecentes em Botucatu, no contexto atual, é preocupante. Quase todos os atos infracionais praticados por adolescentes estão relacionados ao tráfico. Posso dizer que são 90% dos casos”, explica o magistrado.

Ele entende que a situação é preocupante porque o tráfico tem acabado com a infância, tem acabado com a juventude do adolescente e afetado diretamente sua família. Hoje, segundo ele, as drogas, principalmente o crack, é um fator decisivo na prática do crime. Afirma que os atos infracionais mais graves envolvendo adolescentes como roubos, sequestros, homicídios, latrocínios, extorsão, estão relacionadas ao uso e tráfico de drogas.

“Por causa disso, tenho sido rigoroso com essa situação e aplicado medidas de internação para que o adolescente tenha um atendimento médico, psicológico e de drogadição. Muitas vezes ao internar um menor por um determinado período, estamos, sim, protegendo sua vida. E não podemos nos esquecer que o adolescente que vem de uma família desestruturada está mais vulnerável para entrar na criminalidade. Tirar o adolescente desse ambiente é a nossa obrigação, é obrigação da sociedade”, finaliza.

Fotos: Divulgação