Lesão corporal, violência doméstica e vulnerabilidade são os destaques da Guarda Municipal

 

Gape

No último final de semana, a Guarda Civil Municipal prestou 4 auxílios a pessoas em situação de vulnerabilidade, sendo que 2 deles ocorreram na sexta (2) durante a noite. Em um dos atendimentos, um cidadão estava dormindo nas proximidades do Paço Municipal e não tinha onde passar a noite. Dessa forma ele foi levado ao Projeto CAMIM.

Outro atendimento ocorreu próximo da Rodovia Alcides Soares, onde um senhor estava caído e segundo informações ele não teria tomado remédio para hipertensão. De pronto o SAMU foi acionado e a GCM levou o cidadão até o devido socorro.

Já na tarde de sábado (3) a GCM compareceu na portaria da Fazenda Lageado, onde um cidadão estava totalmente desorientado. Após abordagem, os guardas conseguiram descobrir onde o cidadão mora e o levaram até sua residência.

Já o 4º atendimento aconteceu no início da madrugada deste domingo (4). O fato ocorreu no terminal rodoviário, onde mais um cidadão estava dormindo ao relento, motivo pelo qual foi levado ao Projeto CAMIM.

 Lesão corporal na CECAP

Na manhã de sábado (2), os guardas civis municipais Giselle e De Santi, estiveram na região da CECAP, onde uma mulher de 54 anos informou que um indivíduo a agrediu fisicamente e estaria portando uma arma de fogo. Diante dos fatos o acusado foi localizado e nada de ilícito com ele encontrado.

As partes foram encaminhados ao plantão policial, onde o delegado Dr. Geraldo Franco Pires determinou pela elaboração de boletim de ocorrência de lesão corporal. Ambos foram orientados e liberados.

 Violência doméstica no Bairro Alto

Na tarde de sábado (2), o inspetor Destro e o GCM Ronaldo atendendo um caso de violência doméstica no Bairro Alto. Por lá uma mulher pediu ajuda à GCM, pois segundo informações ela havia sofrido agressões de seu amásio.

Quando os guardas chegaram ao local para atendimento, o agressor havia fugido e a mulher tinha alguns hematomas no corpo. Ela preferiu somente atendimento médico e optou por não fazer boletim de ocorrência junto a Policia Civil.