Júri absolve rapaz acusado de homicídio tentado

Nesta quinta-feira (25), sob a presidência de Marcus Vinicius Bachiega, juiz de Direito da Comarca de Botucatu, aconteceu mais uma reunião do Tribunal do Júri, no Fórum, para o julgamento do calheiro Charles William de Lima Oliveira, que nos autos do processo consta como acusado de ter tentado contra a vida de Antonio da Silva.

Após os debates o Conselho de Sentença formado por sete pessoas da sociedade botucatuense, sorteadas entre 25 convocadas pela Justiça, acatou a tese da advogada defensora Rita de Cássia Barbuio, que pediu a desclassificação de homicídio tentado para lesão corporal dolosa. Como representante do Ministério Público esteve atuando o promotor de Justiça, Marcos José de Freitas Corvino.

{n}O crime{/n}

Descreve a denúncia que o réu era vizinho da vítima. Ambos residiam no Jardim Monte Mor na Rua Abigail Sampaio Faconti, nº 370 (antiga Rua 14). No dia 17 de setembro de 2010, por volta das 23 horas, o acusado retornava para casa, quando se deparou com sua esposa grávida (Jéssica) e com outro filho no colo, sendo agredida pela esposa da vítima (Maria José) e Antonio Silva estava no local.

Ao ver o entrevero Charles entrou na sua casa e tomou posse de um revólver e com intuito de defender a esposa, efetuou dois disparos que atingiram a vítima nas mãos e no abdome. A vítima foi socorrida até o Pronto Socorro (PS) do Hospital das Clínicas (HC) de Rubião Júnior e sobreviveu.