Julgamento popular foi cancelado por morte do réu

Nessa quinta-feira estava agendado para que fosse realizado mais um julgamento na sala do Tribunal de Júri de Botucatu sob a presidencia do juiz Marcus Vinícius Bachiega, tendo como representante do Ministério Público o promotor de Justiça, Marcos José de Freitas Corvino.

Isso porque o réu que seria julgado, Aldeci Martins de Oliveira, morreu. As causas da morte ainda serão anexadas ao processo através do atestado de óbito. Ele (se estivesse vivo) estaria sentado no banco dos réus por um crime de homicídio tentado cometido contra Aroaldo Anselmo Alva, na noite do dia 30 de maio de 2010, em frente a um bar da Rua Dalila Cintra Nepomuceno, no Jardim Eldorado.

De acordo com o que está descrito na denúncia, réu e vítima tinham desavenças pessoais e no dia dos fatos discutiram e entraram em luta corporal. Aldeci Oliveira sacou de uma faca e desferiu um golpe contra o abdome do desafeto. Após o crime ele fugiu e Aroaldo foi encaminhado ao Pronto Socorro (PS) do Hospital das Clínicas (HC), onde passou por uma intervenção cirúrgica e sobreviveu.