Juiz da vara criminal defende instalação de CDP para região

“No caso de Botucatu, a instalação de um Centro de Detenção Provisória (CDP) é necessária e seria de fundamental importância”, foi o que disse o juiz titular da 1ª Vara Criminal da Comarca e juiz/diretor do Fórum de Botucatu, Josias Martins de Almeida Júnior, quando questionado sobre a instalação de um CDP para atender a demanda da região que seria de 400 presos, segundo o delegado seccional de polícia, Antônio Soares da Costa Neto. Esse CDP padrão do estado comportaria até 700 detentos.

Segundo Josias Júnior, a Cadeia Pública, a rigor, não é lugar para ficar presos já condenados (definitivos), e também porque a estrutura não é adequada, nem consegue comportar o número de presos de uma cidade com o porte de Botucatu que tem mais de 120 mil habitantes.

Reconhece que a instalação de um CDP causaria certa temeridade na população. “Isso é natural, mas junto com a unidade virão agentes especializados para cuidar dos detentos e os policiais que hoje prestam seus serviços ? cadeia seriam deslocados para o setor investigativo e minimizaria o problema da superlotação”, observou o magistrado titular da 1ª Vara.

Diz que, embora a superlotação não seja um problema só de Botucatu, a cidade teria que contar com uma unidade de CDP, dotado com normas de segurança e tecnologia, diferente da situação da cadeia. “Não quero dizer que isso eliminaria problemas como rebeliões, mas, seguramente, a fiscalização e o controle disciplinar seriam feitos de maneira mais adequada e os presos monitorados. Além disso, a ressocialização seria mais eficaz”, frisa.

A construção de um CDP para atender Botucatu ganhou força quando em sua visita recente ? cidade para inaugurar o Poupatempo, o governador Geraldo Alckmin, num questionamento feito pelo {n}Jornal Acontece{/n} deixou claro que a construção de um CDP na região depende da união das forças políticas das cidades envolvidas. “Se os municípios que fazem parte da região me apontarem um terreno adequado eu abro o processo licitatório para realizar a obra. Isso não promessa, é compromisso”, garantiu o governador de São Paulo.

Foto: Jornal Acontece Botucatu