Jovem é preso com maconha, ecstasy e micro-pontos de LSD

Fotos: Luiz Fernando

Um trabalho desenvolvido pelos policiais civis especializados da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE), na Rua Campos Salles, região central da Cidade, resultou na prisão de um rapaz de 19 anos de idade de nome Cauã A., que foi assistido pelo advogado Roberto Fernando Bicudo. As investigações continuam em curso.

De acordo com o delegado Carlos Antônio Improta Julião Filho, esse cidadão estava sendo investigado há vários dias e os policiais ficaram em campana aguardando o melhor momento para agir. “A casa tinha câmera de vídeo externa, grades e um cão da raça pit bull. Nossos policiais aproveitaram-se do momento em que a namorada desse rapaz saia, para invadir a casa munidos de um mandado judicial de busca e apreensão”, conta o delegado.

No quarto do rapaz os policiais encontraram uma grande quantidade de maconha especial, cultivada em canteiros próprios, três micro-pontos de LSD (ácido lisérgico), 21 comprimidos de ecstasy, balança de precisão, telefone celular, notebook, lista com nomes de possíveis “clientes” do tráfico e R$ 5 mil em dinheiro.

“Esse tipo de droga, por ser cara, é usado por usuários da classe média alta comumente em baladas noturnas e a compra não é feita em “biqueiras” comuns e sim através da internet (MSN). Para despistar usam nomes como: doce para o LSD, bala para o comprimido de ecstasy e verdinha ou palmerinha para a maconha pura”, conta Julião Filho.

Segundo o delegado a investigação ainda não foi concluída e o trabalho está direcionado para descobrir a origem da droga sintética, assim como onde essa maconha, que não é, costumeiramente, usada por usuários comuns, foi cultivada. “O indiciado será preso por tráfico de entorpecentes e nas próximas horas poderemos ter novidades sobre este caso”, disse o delegado, sem entrar em maiores detalhes sobre a investigação.