Identificado comparsa de bandido que morreu baleado

A Polícia Civil de Botucatu, através da DIG – Delegacia de Investigações Gerais, trabalhando conjuntamente com a Polícia Militar já identificou o companheiro do ladrão que na noite de sábado, por volta das 23 horas, morreu baleado por um policial militar em uma residência na Rua Comendador Miguel Rosso, nº 331, região da Vila Sônia.

De acordo com o delegado Celso Olindo (foto) que está no comando das investigações, o indivíduo procurado já tem outras passagens policiais por furto e roubo. “Ele já está identificado, mas vamos manter seu nome em sigilo, para que as investigações não sejam prejudicadas. Acredito que nas próximas horas ele deverá ser preso”, previu o delegado.

Segundo ele, até a família desse indivíduo já foi contatada. “Procuramos a família para tentar persuadir o acusado a se entregar. Este é o melhor caminho para ele”, comentou o delegado, garantindo que o marginal está ferido. “Ele foi baleado em um dos pulsos e precisa de tratamento médico especializado. Por isso o melhor caminho é ele se entregar, já que mais hora menos hora ele será preso”, alertou Olindo.

Ainda de acordo com o delegado, a investigação esteve no local do crime e levantou que o ladrão havia levado um tiro no pulso, através de uma blusa que ele deixou no local durante a fuga. Ele deixou um rastro de sangue que saí da casa e termina na Rodovia Marechal Rondon, nas proximidades do trevo que dá acesso ? Unesp.

{n}Entenda o caso{/n}

Na noite de sábado, por volta das 23 horas, um assaltante foi morto a tiros pela Polícia Militar, na Vila Sônia, que é considerada de classe média alta de Botucatu. O marginal baleado e morto foi identificado como sendo Jorge Ricardo Mariano, de 33 anos de idade, que era bastante conhecido nos meios policiais, com uma ficha extensa, principalmente por infringir os artigos 155 (furto) e 157 (roubo).

De acordo com o depoimento prestado pelo policial militar cabo Carlos Nepomuceno, que baleou o marginal, ele havia se deslocado até esta casa que pertence a um amigo, de nome Danilo, para dormir na residência. No interior da casa deparou-se com dois elementos desconhecidos.

Ao perceber a chegada do policial, os marginais sacaram de suas armas e dispararam contra o cabo da polícia. O PM revidou e conseguiu balear os dois meliantes. Um deles, ferido mortalmente, veio a falecer no local. O outro, mesmo ferido a bala, conseguiu fugir. Ele já está identificado e sendo procurado.

No local foi apreendido pela PM um revólver calibre 32, contendo três munições picotadas, marca Shimth Wilson, um telefone celular e uma blusa de moleton azul, com listras brancas que estava de posse do indiciado. O revólver do PM, um Taurus calibre 38, também foi apreendido para averiguação de praxe.