Homicida é condenado 18 anos depois de cometer o crime

Marcus Vinicius Bachiega, juiz titular da 2ª Vara Criminal da Comarca de Botucatu e presidente do Tribunal de Júri, coordenou nesta quinta-fera (12) o julgamento do réu Odair Soares da Silva, que nos autos do processo consta como autor do homicídio duplamente qualificado cometido contra Victorino Fogaça Filho, há 18 anos atrás.
A particularidade é que réu consta como foragido da Justiça e não compareceu ao seu julgamento.

Depois dos debates em plenário entre o representante do Ministério Público, promotor Marcos José de Freitas Corvino e a advogada defensora Adriana Bogatti Guimarães Rizzo, o Conselho de Sentença formado por sete pessoas da sociedade botucatuense (cinco homens e duas mulheres), optou pela condenação do réu. O juiz proferiu a sentença imputando a Odair Silva uma pena de 16 anos de reclusão em regime, inicialmente, fechado.

Descreve a denúncia que o crime aconteceu na noite do dia 03 de dezembro de 1995, por volta das 20h30, no “Bar da Iraci”, na Rua Domingos Cariola, no Jardim Brasil, onde a vítima recebeu sete tiros. Outros dois rapazes: Celso Bernardo e Marcos Pereira de Almeida, denunciado como co-autores do crime já foram julgados e condenados. Segundo a denúncia os dois seguraram a vítima para que Odair deferisse os tiros.

Ainda está descrito nos autos que dias após o crime, Odair Silva teria intimidado uma testemunha chamada Sérgio Carolino a comparecer no 4º Distrito Policial, no Jardim Peabiru (hoje desativado) e acusar outro cidadão (Erasmo Carmo) pela autoria do crime. Porém, trabalho investigativo do setor de inteligência da Polícia Civil apurou a verdade dos fatos.

Fotos: David Devidé