Homem que esfaqueou vizinho será submetido a julgamento

Foto: Valéria Cuter

Desclassificar o crime de homicídio tentado para lesão corporal dolosa. Deverá ser esta a tese a ser defendida em plenário no Tribunal de Júri pelo advogado criminalista Edson José Coneglian (foto), em julgamento previsto para acontecer na próxima quinta-feira, no Fórum de Botucatu, sob a presidência do juiz presidente Marcus Vinícius Bachiega. Representando o Ministério Público estará atuando o promotor de Justiça Marcos José de Freitas Corvino.

O réu será o lavrador João Antônio Monteiro, de 57 anos de idade, que foi denunciado pela Promotoria Pública como autor de um homicídio tentado cometido contra José Jacinto. O crime ocorreu no início da madrugada do dia 1º de janeiro de 2009, na Rua João Brás, no município de Pardinho.

Consta que os dois trabalhavam na mesma fazenda e eram vizinhos. No dia dos fatos acabaram discutindo e entrando em luta corporal. Monteiro se apoderou de uma faca e aplicou dois golpes que atingiram as costas do oponente que permaneceu dois dias internado no Hospital das Clínicas, em Rubião Júnior.

“Não há como julgar o réu por tentativa de homicídio, pois entendo que é um caso de lesão corporal dolosa e vamos defender isso em plenário”, afirmou Edson Coneglian, que terá 90 minutos para tentar convencer o Conselho de Sentença formado por sete pessoas da sociedade entre homens e mulheres.