Homem força sua prisão para poder ver o filho na cadeia

Na madrugada desta segunda-feira, um senhor de 48 anos de idade, chamado Lauro Borges Pereira, causou um grande estardalhaço no Plantão Permanente e queria de todas as maneiras ser preso alegando que precisava ver o filho (Wellington) que estava recolhido na Cadeia Pública há uma semana. A ocorrência foi atendida pelos policiais militares, soldados de Souza e Moreno.

Tudo começou por volta das 1h50 quando Pereira adentrou ao Posto de Gasolina Eldorado, na Rua Major Matheus, Vila dos Lavradores e jogou sua caminhonete S-10, com placas de Botucatu, contra uma viatura da Polícia Militar que estava estacionada para abastecimento. Ele procurou se certificar de que era uma viatura policial antes de, propositalmente, forçar a colisão.

Ao ser questionado sobre seu procedimento, o indiciado apresentou as mãos para ser algemado. “Podem me algemar porque eu quero ser preso para ver meu filho”, teria dito o indiciado aos policiais. “Porém, ele se tornou agressivo e passou a ofender os policiais com palavras de baixo e foi necessário o uso de força física moderada para contê-lo”, lembra o soldado Moreno.

Também está descrito no Boletim de Ocorrência (BO) confeccionado pelo delegado Emerajal Torres, que Pereira ao chegar no Plantão Permanente, desferiu um soco contra o rosto do investigador da Polícia Civil e, novamente, foi usada força física para acalmá-lo e conduzi-lo ? cela.

Outro detalhe dessa prisão foi que antes de causar o acidente jogando a caminhonete contra a viatura, Pereira, que já respondeu processo e foi preso por prática de homicídio (artigo 121 do Código Penal Brasileiro), havia ligado ao telefone 190 para revelar que “precisava” ser preso (ouça o áudio abaixo).

O delegado elaborou o BO enquadrando Pereira em crimes de danos ao patrimônio público, desacato, desobediência, embriaguês ao volante e lesão corporal. Antes do clarear do dia, Pereira conseguiu o seu objetivo, ou seja, ser recolhido ? Cadeia Pública de Botucatu, onde permanece ? disposição da Justiça.

Por: Quico Cuter

Fotos: Macaru