Homem é preso depois de cavar cova para enterrar mulher

A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) atendeu na tarde desta terça-feira a um caso inusitado e prendeu um lavrador de nome Valmir de Oliveira, de 27 anos de idade, no Sítio Nonaca, que fica na região da antiga Cesp, zona rural da cidade. A prisão desse cidadão foi feita pelos policiais militares Garcia e Márcio, que receberam a denúncia de que esse cidadão estava ameaçando matar sua mulher de nome Rosinei Rodrigues, de 34 anos, com uma faca e enterrá-la em um buraco feito durante a madrugada.

Ao chegar ao local os policiais perceberam que os moradores haviam amarrado Oliveira nos pés e mãos. Ele, além de estar embriagado e ser amarrado, havia sido agredido e estava com hematomas na região da cabeça. A faca com a qual ele ameaçava matar a mulher foi apreendida.

À reportagem do {n}Jornal Acontece Botucatu{/n} ele declarou que não tinha intenção de matar ninguém. “Eu só estava assustando minha mulher, mas não queria matar ninguém, não”, alegou. Sobre o buraco feito em uma área do sítio ele foi taxativo. “Aquele buraco é para as crianças brincarem. Eu só queria voltar para o Paraná, onde está minha família. Vim aqui em busca de trabalho e acontece isso”, colocou.

A mulher, que foi vítima de ameaça praticada pelo indiciado e tem seis filhos (nenhum com Oliveira), salientou que ele estava nervoso por que a havia sido dispensado (mandado embora) pela dona do sítio.

“Ele saiu de noite, falando que iria cavar um buraco, pois pretendia matar a dona Rosa (Bitoche, dona do sítio) e jogá-la dentro e enterrar. Mas como ele bebe muito não dei bola. Chegou a convidar um amigo, o Valdir (Alves Góes, de 32 anos) para ajudar a cavar, mas ele não aceitou”, comentou a mulher.

“Na manhã de hoje ele passou discutir comigo, me bateu e me ameaçou com a faca, correndo atrás de mim e de dois filhos meus, até que os moradores daqui conseguiram segurar, depois de muita briga”, completou Rosinei, que prestou depoimento como testemunha.

O homem que teria sido convidado a ajudar a cavar o buraco confirmou a história da mulher. “Ele me fez esta proposta maluca de fazer o buraco, porque queria jogar a mulher dentro. Eu não aceitei e até tentei tirar isso da cabeça dele, mas não adiantou. Depois que ele correu atrás da mulher dele com a faca o pessoal daqui conseguiu segurar e amarrar até polícia chegar para levar ele embora”, lembra Góes.

Depois de ser ouvido pela delegada titular Simone Alves Firmino, o indiciado foi recolhido ? Cadeia Pública de Conchas, onde permanece ? disposição da Justiça. É lá onde estão os detentos da região que praticaram crimes contras os costumes (agressão física contra mulher ou contra crianças, estupro, atentado violento ao pudor, importunação ofensiva ao pudor, entre outros).

Fotos: Valéria Cuter