Homem de 82 anos reage a assalto e acaba baleado

A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) está ? procura de um assaltante que na manhã desta quarta-feira (18), por volta das 7h30, cometeu um roubo tentado contra um senhor de 82 anos de idade, chamado Antônio Felipe, na Rua Antônio Hermelindo Soares, nº 210, na Vila São Luiz. Ele, ao ser rendido, reagiu ao assalto e acabou sendo baleado na coxa esquerda. O tiro transfixou a perna da vítima, mas não atingiu a nenhum osso. No local estiveram os policiais militares Forner e De Moraes, que conduziram o homem até a delegacia especializada.

A vítima conta que ao acordar pela manhã foi até o banheiro que fica na parte externa da casa e acabou surpreendido por um elemento armado com um revólver, alto, magro, trajando roupas pretas, com capuz e boné. O desconhecido deu voz de assalto, exigindo dinheiro.

“Quando vi aquela pessoa me ameaçando, não tive dúvidas e parti pra cima dela e empurrei contra a parede por duas vezes. Foi, então, que ele disparou um tiro que pegou na minha perna. Na hora, nem dor eu senti e mesmo baleado continuei tentando segurá-lo, mas ele pulou o muro e fugiu correndo”, lembra Felipe que foi medicado no Pronto Socorro Municipal e liberado.

Revela que passou por um susto muito grande quando encontrou o marginal encapuzado no banheiro de sua casa, mas garante que não teve medo. “Sei que não podia fazer isso, mas naquela hora não pensei em nada e perdi a cabeça. Só que não sei quem era, Se soubesse falava pra polícia, porque ele pode tentar fazer a mesma coisa com outras pessoas, ou até mesmo comigo, de novo”, frisou Felipe, que é aposentado, mora sozinho, mas não deixa dinheiro guardado em casa.

O delegado titular da DIG, Celso Olindo, esteve no PS para colher informações que possam ajudar a policia a identificar e prender o autor do assalto tentado, já trabalhando com alguns suspeitos. “Estamos no início do trabalho investigativo. Quem entrou na casa conhecia a vítima e supôs que, por ser aposentado e morar sozinho, o senhor Antônio poderia ter dinheiro guardado em casa”, salientou Olindo.

O delegado ressalta que o aposentado correu risco de morte ao reagir ao assalto. “Esse tipo de atitude (reação a um assalto) não é recomendável, pois, geralmente num assalto o ladrão está mais assustado e apreensivo do que a própria vítima e qualquer gesto pode ser entendido como uma reação. Por isso, recomendamos que a vítima não reaja quando for abordado por um marginal armado”, orienta o delegado da DIG, que acredita na identificação do assaltante nas próximas horas. “Estamos trabalhando para isso e a qualquer momento poderemos ter novidades”, previu.

{n}Fotos: Valéria Cuter{/n}

{bimg:22837:alt=interna1:bimg}