Hilux é flagrada com cocaína avaliada em R$ 1 milhão em Bauru

Caiu por terra a tática de dois irmãos que traficavam pasta base de cocaína usando uma Toyota/Hilux. O carregamento da droga, oriunda do Paraguai e avaliada em até R$ 1 milhão, que teria Jaú como destino final, foi apreendido nessa quarta-feira (9), no início da noite, durante patrulhamento realizado pela Polícia Rodoviária na Comandante João Ribeiro de Barros (SP-294), mais conhecida como Bauru-Marília. Também nesta quarta, o Policiamento Rodoviário apreendeu 16 quilos de maconha (clique e saiba mais).

Na apreensão da cocaína, os irmãos Diego Mendes Vieira, de 25 anos, e Renan Mendes da Silva, de 22 anos, ambos de Dourados, foram presos em flagrante por tráfico. Ao todo, 56 tijolos de pasta base foram apreendidos e levados, junto com os detidos, para a Central de Polícia Judiciária (CPJ).

Desconfiança

O veículo foi abordado pelo Tático Ostensivo Rodoviário (TOR) no quilômetro 352 da rodovia, na altura do retorno para acesso aos bairros Nova Esperança e Fortunato Rocha Lima.

A alta velocidade em que a caminhonete trafegava pela pista chamou a atenção dos policiais, que ficaram ainda mais desconfiados ao notarem que a placa do veículo, que parecia percorrer o caminho com tanta segurança, era de Dourados, no Mato Grosso do Sul.

“Ali (Dourados) é quase fronteira com o Paraguai. É uma região bem conhecida pela polícia como rota da droga”, comenta o sargento Geovano Dal Medico, um dos responsáveis pela apreensão.

Abordados, os irmãos foram questionados pelos policiais e acabaram entrando em contradição ao informarem para onde seguiam. “O Diego disse que ia para Jaú e o Renan disse que ficariam em Bauru. Nenhum deles disse o porquê viajava”, conta o sargento.

O fato motivou uma revista na caminhonete. Ao olhar debaixo do carro, os policiais encontraram a resposta para as perguntas que procuravam.

O assoalho da Hilux estava todo “recortado” e apresentava fundo falso entre a carroceria e os bancos traseiros. Lá, estava parte da droga.

Prisão

Com alguns tijolos de cocaína em mãos, os policiais deram voz de prisão aos irmãos e seguiram para a base da Polícia Rodoviária na Marechal Rondon, onde o restante do entorpecente foi encontrado escondido em outros fundos falsos e até na entrada de ar da frente da caminhonete, que fica atrás do para-choque.

Ao JC, os irmãos alegaram ser apenas “mulas”, ou seja, que não eram os donos da droga, apenas pelo seu transporte. A caminhonete, placas HTA 5777, foi apreendida após o recolhimento do entorpecente.

Até o final dessa quarta-feira (9), não havia a pesagem oficial da droga. Pela quantidade, a polícia estimou em R$ 1 milhão o valor que o entorpecente arrecadaria para o tráfico ao ser comercializado. 

(Fonte: JC Net)