Grupo Ambiental resgata garça “Maria Faceira” ferida

Atendendo solicitação feita via 199, à guarnição do Grupo de Proteção Ambiental (GPA), formada pelos Guardas Municipais Camargo e Carmelin, se deslocou até a Rua Darcisio Coneglian, Jardim Itamaraty, onde de acordo com informações havia uma ave aparentando estar ferida em uma das asas, o que a impossibilitava de voar.

No local os agentes constataram que se tratava de uma garça da espécie conhecida como “Maria Faceira”. A ave foi encaminhada ao Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Selvagens (Cempas), ficando aos cuidados da equipe médica veterinária coordenada pelo professor doutor  Carlos Teixeira.

A Maria Faceira é  a única garça brasileira com este padrão de coloração. O nome comum está ligado às cores espetaculares da cabeça: face azul-clara, coroa e crista acinzentadas e bico róseo com mancha azul-violeta na ponta. A plumagem da garganta, pescoço e partes inferiores é amarelada, enquanto o dorso é cinza-claro.

Passa a maior parte do tempo no solo, andando a procura de insetos. Quando em regiões alagadas nunca se aventura em águas profundas, preferindo as margens alagadas, ricas em vegetação, onde se alimenta não só de insetos, mas também de anfíbios, pequenos roedores e peixes. É uma das primeiras aves a aparecer quando o solo é arado e apanha minhocas e outros invertebrados removidos pelas máquinas.