GCM realiza Curso de Conduta de Patrulha de Alto Risco

Agentes da Guarda Civil Municipal de Botucatu (GCM) realizaram o curso de Conduta de Patrulha em Área de Alto Risco, o treinamento foi ministrado pelo sargento instrutor Farias da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que tem mais de 20 anos de serviços prestados e vasta experiência em patrulhamento em locais de risco nas favelas cariocas. O curso aconteceu na sede da Guarda Civil, da cidade de São Manuel.

O curso preparou os agentes para situações de confronto armado, progressão em área de alto risco, patrulha a pé com confronto e socorro de agente ferido. O treinamento possibilitou que cada guarda efetuasse mais de 250 disparos de arma de fogo dos mais diversos calibres e principalmente de pistola .380 e espingarda calibre 12, armamento que atualmente são utilizadas em operações de confronto pelo Grupo de Ações Preventivas Especiais (GAPE).

O curso foi uma iniciativa do comandante Paulo Renato, que tem o compromisso de constante aperfeiçoamento dos agentes. “A equipe trouxe um resultado muito rápido e eficiente, sendo que no ano de 2010 o GAPE efetuou cerca de 40% das prisões efetuadas pela GCM”, elogia o comandante.

“É realmente um teste para observar desde a agilidade do agente até o seu sangue frio no enfrentamento de situações adversas. Isso, além de intensificar o patrulhamento na periferia, reforçar a segurança nos eventos da cidade e em áreas de maior incidência de crimes, tais como furto, roubo e tráfico de entorpecentes”, complementa Paulo Renato.

{n}Treinamentos periódicos{/n}

No segundo semestre do ano passado agentes da GAPE estiveram praticando diferentes modalidades de tiro, como o prático (parado e em pé mirando em um alvo fixo), o tático (onde os guardas atiram em diferentes posições como ajoelhados, deitados ou correndo) e o embarcado (são os tiros dados em viatura ou motocicleta em movimento numa perseguição a marginais).

O secretário municipal de Segurança Pública, delegado Adjair de Campos, revela que de acordo com a Lei Federal, é necessário esse tipo de treinamento ? GCM uma vez por ano, mas no caso específico do GAPE, a opção foi a de realizar um treinamento a cada de três meses. “A finalidade é que nossos agentes estejam preparados para agir em diferentes situações, onde se observa o confronto direto com marginais”, justifica o secretário.

Ele entende que quanto mais treinamentos fizerem, mais aptos os homens do GAPE estarão para agir em defesa da sociedade. “É um aprimoramento contínuo para esse grupo de policiamento especial e vamos continuar desenvolvendo, não nos esquecendo, evidentemente, de fazer o trabalho de aprimoramento com os outros guardas que fazem parte da corporação e que continuam tendo uma reavaliação e uma requalificação uma vez por ano”, conclui Campos.