GCM evita consumação de um novo falso sequestro

Os guardas realizavam ponto de estacionamento preventivo e perceberam uma mulher muito nervosa falando no telefone celular, momento em que ela entregou um bilhete aos agentes de um possível sequestro de sua filha

 

Nesta quarta-feira (09) os guardas civis municipais inspetor Destro e agente Nóbrega conseguiram impedir que fosse realizado mais um caso de um golpe, conhecido como seqüestro relâmpago. O fato aconteceu na Praça Emílio Pedutti, mais conhecida como Praça do Bosque.

No local os guardas realizavam ponto de estacionamento preventivo e perceberam uma mulher muito nervosa falando no telefone celular, momento em que ela entregou um bilhete aos agentes de um possível sequestro de sua filha. Diante dos fatos os guardas acompanharam-na até uma agência bancária, já que a mulher estava convencida em depositar R$3.000,00 em dinheiro ao golpista, porém ela tinha apenas R$1.000,00 e iria emprestar mais 2 mil.

Os guardas conseguiram impedir o golpe, inclusive o inspetor Destro tentou falar com o indivíduo ao telefone, mas ele desligou rapidamente ao perceber que havia sido descoberto. A vítima informou que os bandidos pediram R$10 mil e foram negociando até o valor de R$ 3 mil, a filha dela estava bem conforme contato telefônico realizado pela equipe da GCM.

 

Outro falso sequestro 

Vale lembrar que na última segunda-feira os guardas civis municipais Petenucci e Batista com apoio do inspetor Pichinin e o agente Zambonato do Grupo de Ações Preventivas Especiais (Gape), também atenderam a um caso de falso sequestro praticado contra uma mulher de 54 anos de idade.

O fato chegou até a GCM através do telefone 199, onde a filha dessa senhora informou aos guardas Prado e Pedro da Central de Atendimento que sua mãe estava totalmente nervosa e não desligava o telefone celular. Ela também já teria ido a uma agência bancária sacar dinheiro, mesmo o marido tentando impedir ela depositou R$ 1.300,00 numa agência lotérica.

Após patrulhamento na Rua Major Matheus os guardas identificaram a mulher que estava com mais um envelope contendo R$800,00 em dinheiro, que seria depositado novamente aos golpistas que a todo o momento faziam ameaças alegando estar com sua filha e pedia dinheiro para não matá-la. Os guardas retiraram o envelope das mãos da mulher imediatamente e ligaram para filha dela já que a vitima não estava convencida que se tratava de um golpe. O fato será investigado com intuito de identificar os golpistas.