GAPE prende um dos bandidos mais conhecidos da região

Crimes como homicídio, tentativa de homicídio, receptação, tráfico de entorpecentes, roubo, furto, entre outros, estão contidos na ficha criminal, conhecida como “capivara”, de Marcelo Mendes Cruz, de 36 anos de idade, alcunhado de Mendão, um dos bandidos mais conhecidos da região. Ele foi preso no final da tarde desta terça-feira numa operação dos agentes Trombaco, Nogueira e Vaz, do Grupo de Ações Preventivas Especiais (GAPE) da Guarda Civil Municipal (GCM).

Apesar de sua ficha criminal extensa, Mendão acabou sendo preso por não pagar pensão alimentícia e era procurado pela Justiça. Através do sistema Informações de Segurança (Infoseg) da GCM, os agentes detectaram que Mendão iria prestar depoimento na 1ª Vara da Comarca por ter sido processado por desacato, resistência e lesão corporal. O juiz Josias Martins de Almeida Júnior foi informado pelos agentes e deu a autorização para que a prisão fosse efetuada.

“Assim que foi informado que (o Mendão) era procurado, o senhor juiz nos deu total apoio para que pudéssemos realizar a prisão. O curioso é que ele iria ser interrogado por crimes cometidos contra a própria Guarda Municipal, meses atrás. Ele mostrou surpresa ao receber voz de prisão, mas não tentou reagir”, lembra o agente Trombaco.

Na viatura, Mendão revelou que já pagou o que devia ? Justiça, sendo preso e respondendo seus processos e continua respondendo outros em liberdade. Salienta que foi pego de surpresa. “Não sabia disso (que era procurado). Se soubesse iria agir de outra forma. Foi uma sacanagem da minha ex-mulher, pois fizemos um acordo verbal e deixei a casa pra ela em troca do pagamento de pensão. Isso não se faz, porque ela não cumpriu, eu me ferrei e vou pagar mais essa. Só não queria ir para outra cadeia e sim ficar em Botucatu”, frisou o acusado, que foi assistido pela advogada Silvana Pradela Carli.

Conduzido ao Plantão Permanente, Mendão prestou depoimento ao delegado Sérgio Castanheira que determinou seu recolhimento ? cadeia Pública de Porangaba onde ficam os presos da região que foram denunciados por faltar com o pagamento da pensão alimentícia. Por esse crime, Mendão poderá permanecer recluso de 30 a 90 dias.

Fotos: Quico Cuter