GAPE prende rapaz de 19 anos foragido da Fundação CASA

Na manhã desta terça-feira (03) os agentes do Grupo de Ações de Preventivas Especiais (GAPE), da Guarda Civil Municipal (GCM), com o inspetor Pimentel e agentes Adeilson, Trombaco e Rezende, efetuaram a prisão de um indivíduo de 19 anos que quando menor de 18 anos foi apreendido em situação de tráfico pela Polícia Militar (PM) com uma grande quantidade de drogas e fugiu quando cumpria medida sócio educativa numa Fundação do Centro de Atendimento Sócioeducativo ao Adolescente (CASA) na Grande São Paulo.

A fuga desse rapaz aconteceu em uma atividade física quando entrou em luta corporal com os monitores. Desde então ficou refugiado em Botucatu, cidade onde residem seus familiares. “Foram diversas denúncias quanto ao paradeiro do indivíduo que segundo informações traficava na região da Rua 1º de Maio, local conhecidissímo pelo comércio de drogas e palco de inúmeras prisões feitas pelas Policias Civil e Militar e Guarda Civil Municipal”, colocou o inspetor Pimentel.

Entretanto, na manhã desta terça-feira agentes do GAPE durante patrulhamento preventivo e comunitário na região da Vila Antártica avistou esse indivíduo na Praça da Igreja Nossa Senhora de Fátima e quando percebeu que iria ser abordado empreendeu fuga pulando muros de várias residências. Os agentes do GAPE realizaram o cerco e detiveram o rapaz quando este tentava pular o muro da Creche Municipal Oreste Spadotto.

Contido e algemado o meliante foi conduzido a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), onde o delegado Celso Olindo determinou que fosse recolhido ? Cadeia Pública de São Manuel e, deverá nos próximos dias ser escoltado para São Paulo e terminar de cumprir sua medida sócio educativa da Fundação CASA de onde se evadiu.

{n}Situação interessante{/n}

Mesmo tendo, atualmente, 19 anos de idade, esse rapaz considerado de alta periculosidade, não foi para uma cadeia comum, já que quando foi preso ainda não tinha completado 18 anos de idade. De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente, independente do crime que tenha cometido, um menor infrator só pode permanecer internado por um período de três anos, que é a pena máxima.

Porém, pode acontecer uma situação interessante e que não é rara. Se ele for preso com 17 anos, faltando um dia para completar os 18 anos (maioridade) e for condenado ? pena máxima (três anos) poderá deixar o regime de internação com quase 21 anos, pois enquanto estiver cumprindo a pena é considerado adolescente. Nesse período fica na mesma unidade com adolescentes infratores com 13, 14 ou 15 anos.