Forças de Segurança mantiveram a ordem na eleição

Fotos: Valéria Cuter

Para manter a segurança durante as eleições municipais deste ano foi feita uma operação conjunta entre a Guarda Civil Municipal (GCM) e Polícia Militar (PM), realizando o trabalho de patrulhamento preventivo/ostensivo, em pontos de votação para garantir que a lei eleitoral fosse cumprida.

A Polícia Civil manteve o funcionamento do Plantão Permanente para atender casos mais corriqueiros como furto, lesão corporal, porte de arma, tráfico de entorpecentes, entre outros. Para as ocorrências de cunho político foram usadas as duas centrais de Polícia Judiciária: uma no Bairro do Lavapés e outra na Vila dos Lavradores. Apenas três casos de crime eleitoral foram registrados, antes do início da votação, mas todos os envolvidos prestaram depoimento e acabaram liberados.

“A situação eleitoral foi bastante calma e nossa preocupação era com a liberação da venda de venda e consumo de bebida alcoólica, mas nenhum fato neste sentido foi registrado. De uma maneira geral, a população de Botucatu comportou-se de maneira exemplar”, elogiou o capitão José Semensati, comandante da 1ª Companhia de Polícia Militar.

Para Sérgio Bavia, comandante da GCM, a atenção dos órgãos de segurança foi redobrada durante a eleição. “Não registramos nenhum caso grave e isso foi fator positivo. Podemos afirmar que a eleição em Botucatu foi a mais calma dos últimos anos”, comparou Bavia.

Também as forças de segurança da Cidade ficaram atentas quanto as proibições inseridas na Lei Eleitoral que foram respeitadas pelos eleitores, como a distribuição de panfletos ou brindes (camisetas, bonés, chaveiros, canetas) contendo propaganda eleitoral e foi evitado que se fizesse boca de urna e formasse aglomeração pública de pessoas com vestuário padronizado (camisetas e bonés).